domingo, 27 de dezembro de 2009

fazenda Aterrado

30km de Pompéu/MG

fotos de minha terra.

Nesse feriado de natal aproveitei para fotografar. sou apaixonada pelo verde que existe na natureza. Por isto gosto de colocar aqui as fotos que tiro da minha terra e dividir com vocês a beleza tão natural que existe tão perto e que com a vida corrida que agente leva muita coisa passa despercebida. Aqui está um cantinho , onde encontrei um silêncio no ar ,um frescor de esperança e um manacial de energias reconfortadoras.Bjos.

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Feliz Natal

Amanheceu um dia bonito,como todos os outros dias bonitos ,mas tem expctativas no ar. Presentes de Natal! Talvez esse pensamento seja o mais provável na mente das pessoas e agente sabe que o natal lembra o renascimento e a troca; a alegria e a doação.O dia de hoje é especial. Não importa a polêmica sobre o dia certo em que Jesus nasceu.Ele nasceu! E nós vamos comemorar porque o que importa é a energia positiva em uma só voz, é abertura dos corações que se unem, pelo menos hoje, para que o aniversáriante possa agir em nosso benefício . A força das palavras encontra eco no céu. Hoje nós teremos mais poder, porque somos muitos, somos mais. Tomara que o excesso do álcool, da gula não mate esse momento mágico.Tomara que na hora da ceia cada membro na mesa reserve o sagrado lugar do aniversáriante.E o deixe sentar, Porque nunca ningúem na terra foi tão importante, ningúem é tão velho e ao mesmo tempo tão jovem, ningúem fez e faz tanto por nós . Feliz aniversário mestre! Feliz natal, você que agora visita esse blog.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Como é dificil aprender a amar nesse planeta terra. Falamos tanto de amor, mas na verdade só conhecemos ainda o amor entre: Pai, mãe,irmãos, avós e olhe lá, primos, tios e tias. Quanto ao amor estendidos que se fala tanto, esse aí agente está longe de absorver como deveria. Até pensamos que somos capazes de gostar e gostamos realmentee das pessoas. Temos amigos que amamos de coração, mas esse "amor" parece residir numa camada mais externa, pois basta que o amigo faça algo contrário ao nosso interesse e então substituimos o amor pela indiferença, pela distançia e por deixar prá lá, sem diálogos que poderiam solucionar o acontecido. Pensando nisso chego a conclusão que eu posso ter amigos que me amam, mas e se eu não corresponder sempre as suas expctativas? E se eu falar o que penso deles em determinadas situações, como agente faz com as pessoas de casa? E se um dia, (em que eu não estiver emocinalmente bem) deixar de ser como de costume, eles agiriam do jeito que mãe age em relação ao filho, sempre pronta a perdoar e compreender? Porque amor é isto! Não é só os momentos bons que se divide, os ruins também. Antes de amarmos algúem teremos de compreender e aceitar o amigo exatamente como ele é. como? Se poucas pessoas se aceitam de verdade.Se poucas pessoas se amam de verdade? Faça uma busca em você que está aí do outro lado. O que acha do amor ao próximo? Agente ja é capaz ?

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

PROFISSÃO ESPERANÇA

No dia 8 de dezembro fui a sete Lagoas a convite de uma sobrinha, assistir à sua formatura e dos colegas, alunos do curso de direito. Foram momentos de muita alegria ver a felicidade dos pais e familiares, prestigiando os seus entes queridos por terem vencido uma parte importante da vida, que é a conclusão de um curso superior. Em meio à festa, lá estavam centenas de botões de rosas vermelhas que eram depois distribuidos aos pais, maridos, esposas ou simplesmente amigos deles. Por um instante eu fiquei pensando: O que seria de nós se não existisse botões de rosas vermelhas? Bom! Rapidinho esse pensamento foi embora porque a euforia era contagiante e eu também entrei na deles, e vibrei além da conta com aquela gente alegre e bonita que só queria comemorar. Depois o paraninfo da turma, um professor com bastante experiência na área começou o seu discurso e me pus a acompanhar atentamente cada palavra que por sinal, eram cheias de sabedoria. Depois de tudo senti vontade de poder dizer a cada um sobre a tamanha responsabilidade que eles estavam assumindo naquele momento, numa área profundamente comprometida com a justiça, como é a advocacia.
Outro dia assistindo uma palestra num centro espírita, o palestrante falava sobre as mudanças no mundo. Ele disse: "As transformações que esperamos vão acontecer pela justiça."
Não é a toa que os promotores mais novos tem mostrado aptidões para defender a verdade doa a quem doer. São espíritos preparados para cumprir a nobre missão de fazer a justiça acontecer. Essa palestra marcou muito e por isso olhava cada um daqueles jovens que alí estavam, talvez com pouca noção do tamanho das suas responsabilidades em relação ao que o plano espiritual esperam deles nesse terceiro milênio, que com certeza será diferente dos outros. Mais do que nunca as falcatruas terão de ceder lugar aos objetivos mais nobres; a mentira, a falsidade e a corrupção não fará parte para sempre de uma humanidade com vista a se transformar. Então você pensa: Quem disse que essa humanidade tem concerto? Eu acredito que tem, porque os homens carregam dentro de si o próprio germem da regeneração e mais dias menos dias esse germem desabrocha. O progresso faz parte das leis imutáveis da vida. Ningúem escapa.

Sempre penso que se a imprensa em todas as suas modalidades comecasse a trabalhar em cima da ética, da moral e do amor verdadeiro, a coisa andaria mais rápido. Infelizmente ela colabora em muito com o seu atraso e um dia responderá pela sua omissão, como tudo nessa vida.

A responsabilidade de quem estuda as leis da terra é tão grande como daquele que estuda as leis de Deus, e se a profissão dá autoridade a quem a exerce, também exige que essa autoridade seja usada em benefício dos mais fracos, dos que sofrem injustiça e em nome da verdade absoluta. São filhos de Deus vindo à terra com o devido preparo, e em tempos difíceis refazer o caminho para que o bem possa triunfar. Que Deus abençoe esse futuros profissionais e todos os que lutam por essa causa: A justiça! Essas pessoas farão a diferença.

domingo, 6 de dezembro de 2009

PERDOAI PARA QUE DEUS VOS PERDOE

As palavras "perdoai para que Deus vos perdõe" embora tão conhecida por todos não parece ainda ter sido compreendida em sua profundidade. O momento atual que nós vivemos nunca foi tão convidativo à pratica do perdão e necessário para a cura dos males sem fim que corroem os corações das pessoas.

Por razões que eu não sei explicar, essas coisas costumam ser deixadas de lado pelos homens do mundo. Dizem eles que são de ordem religiosas, portanto são coisas de mulheres rezadeiras, de pastores, padres ou gente que se ocupa de supertições. Até que um dia qualquer, esses homens do mundo tão orgulhosamente superiores recebem uma visita inesperada chamada dor e vê cairem por terra toda a muralha que eles criaram para protegê-los de si mesmos.

O perdão é interessante principalmente para quem perdoa. Sabemos que não é fácil perdoar a quem nos feriu profundamente. Os homens tem uma tendência forte para magoar-se com qualquer coisa. Se as grande ofensas são difíceis, porque não começar com as mais fáceis, as ditas pequenas, que são as mais danosas pelo números de vezes que se repetem , nos fazendo sentir injustiçados, incompreendidos e não amados. Muitos dessas picuinhas agente pode superar com uma verdadeira análise de tudo que nos acontece no dia e porque acontece.
O que realmente atrapalha é o orgulho, o excesso de valorização que nos damos sempre com o nome de amor próprio e outras coisitas mais. Ferimos, magoamos, maltratamos, mas não aceitamos quando as coisas voltam para nós. Porque então doi, e afinal a nossa dor ainda é a única que conta, infelizmente, e ela é sempre maior que a dos outros, pois até na dor gostamos de ser superior.

Quantas vezes você passa por algum conhecido na rua e nem vê, porque está com muita pressa ou distraído com outras obrigações (isto é tão comum acontecer), mas se alguém fizer isso com você, desaba então o sentimento de mágoa.
Quantas vezes traiu a confiança de um amigo, contando segredos que a propósito ele te confiou. Mas você não perdoa quando fazem algo parecido com você.
Quantas vezes participou de rodinhas de fofoca, incluindo nomes de pessoas que você até gosta, mas quando soube que numa dessa o teu nome estava no meio, a coisa muda de figura.


São muitas as ocasiões em que agente erra, e erra feio com os amigos e afetos, depois vem o arrependimento. Nem assim somos capazes de compreender os erros dos outros para conosco?
É preciso trabalhar a compreensão dessas pequenas ofensas no dia dia e assim evitar atrair as grandes: tragédias irreparáveis que nos pegam vulneráveis e aí depois que se é profundamente ferido, falar em perdoar imediatamente fica mais complicado do que se imagina.

Estamos deixando a deriva a nossa casa mental e os acontecimentos esbarram na invigilância em relação não à religião, mas à religiosidade que é o elo de ligação do homem com Deus. Aí nem mesmo Deus vai nos proteger, para que possamos através das experiências dolorosas retornar o caminho certo.
Então que comecemos antes que o mal nos alcance. Comecemos por desculpar mais, por pedir desculpas quando necessário,mas acima de tudo por compreender que estamos todos no mesmo barco e que em nenhum momento somos melhores a ponto de deixar que as ofensas transforme e endureça os nossos melhores sentimentos.

domingo, 29 de novembro de 2009


foto da fazenda do album "fotos de minha terra".

É bom esse cheiro de mato
que nenhum laboratório cria,
que nenhum artesão desenha tão bem quanto a própria natureza.



TINHA QUE SER ASSIM.

Pedro era prefeito de uma cidade do interior. Fora convidado junto a outros vários prefeitos a apresentar um projeto para construção de um hospital modêlo com o uso de verbas públicas. No dia da apresentação do projeto lá estava ele e os demais colegas com a papelada debaixo do braço e os sonhos no coração. A cidade que vencesse saíria daquele encontro levando para casa uma grande esperança, pois todos os recursos seriam disponibilizados na concretização da grande obra, e que além de ser uma novidade para a cidade traria também oportunidades de crescimento para vários outros setores que dela participariam .
Para espanto de todos Pedro, homem simples do interior e honesto até debaixo dagua vê o seu projeto ser o vencedor e é aclamado por todos.

Depois de passar por todos os trâmites legais ,ele segue os caminhos exigidos pelo edital e parte para as formalidades e execução da obra. UM atendente veio até ele: Sr.Prefeito aqui estão as empresas que ganharão a concorrência .
-O que? Mas ainda não foi feito nenhuma licitação ?
-Isso não importa, essas empresas é que devem ganhar. Sempre foi assim.
-AH eh? Então me devolve essa papelada e eu volto agora para minha cidade, porque comigo não é e nem será assim.

-Mas prefeito...

Não tem nem mais nem menos, se o jogo tem cartas marcadas então eu saio dele agora mesmo. Minha cidade é muito limpa e não aceito me sujar na lama da corrupção que vocês vivem.

-Mas todos vão sair ganhando, o senhor ficou maluco ?
Pedro não respondeu, virou as costa e voltou para sua cidade no mesmo dia.

PS. Não sei quem é esse prefeito nem me lembro mais quem contou essa história, mas foi um fato acontecido aqui no Brasil. Digno dos mais acalorados aplausos.
Por que não pode ser sempre assim?

AMIZADE

Amizade é eu ter alguém como irmão, mesmo que o sangue que corre nas sua veia não tem nenhuma relaçaõ com o meu DNA

É poder escolher quem comigo caminha na dimensão da vida,dando a mão quando caio, e me dizendo verdades quando a cegueira tapa a minha visão.

Batendo no meu rosto,quando a minha teimosia vai além da razão.

Amigo é aquele que sente emoção em me ver, que de vez em quando deseja a minha presença, que tira tempo para estar comigo na sua agenda lotada, mesmo sabendo o que pode perder.

São poucos os que passam pela nossa vida com tanto despreendimento, mas de vez em quando eles aparecem para deixar ao mundo uma lição das mais importantes lições que a vida ja deu. O valor de uma amizade.

domingo, 22 de novembro de 2009

E POR FALAR EM FUTEBOL...

E por falar em futebol ainda não engoli a final da copa de 2006, onde o Brasil que entrou em campo, não era o Brasil que suou a camisa, que mostrou em cada jogo que era capaz, que era superior,que era verde e amarelo.

O que aconteceu de Verdade?
Não contaram até hoje. Ningúem falou para nós. Por que não jogaram o futebol que sabiam? Por que entraram em campo de cabeça baixa? E o técnico que sempre falava muito,gesticulava, gritava com os jogadores em campo, nesse dia nada fez? Ficou quieto, calado, subjugado, triste.

Foi uma grande decepção para todos os brasileiros. De que adianta amanhã ser outro dia se não sabemos o que os bastidores das copas e do futebol guarda a sete chaves?

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

ACONTEÇA O QUE ACONTECER

E por falar em emoções, há muito superei uma paixão que por pouco me dominava. E posso afirmar que a superei porque me pus a analisar os benefícios e os prejuízos que submetia o meu pobre coração: O futebol! Torcedora do Cruzeiro esporte Clube, cresci reverenciando o meu clube azul , batendo no peito e defendendo o que tinha e o que não tinha para defender. Ficava com raiva de atleticano que na segunda feira sempre achava um tempinho para vasculhar o caminho dos que iam pescar.Tudo bem ! Só que entre lágrimas e sorrisos, depois de alguns sofrimentos entendi que as coisas escapavam de meu controle, e eu não podia fazer nada para mudar aquela situação.

O desligamento emocional foi acontecendo porque, a cada final de compeonato o Meu clube vendia os seus melhores jogadores e agente assistia-os embarcar nos sonhos das grandes somas monetárias,enquanto o campo e as esperanças ficavam a ver navios.


Na verdade o clube de futebol se transformou numa indústria ,onde o produto é fabricado à custa das nossas esperanças. Que tão logo alcança o objetivo de fortalecer e elevar a equípe, o jogador fortalece mesmo é os cofres do clube e deixa vazio o coração de quem realmente paga a conta:o torcedor.


É muito desgastante ver a consideração que eles têm pela torcida e a falta de amor à camisa por alguns atletas,quase a maioria, que hoje trabalham ansiosos pelo glamour e expectativa de sua venda a um time estrangeiro. Como se eles ja não ganhassse muito dinheiro aqui mesmo.

Não sei se eles estão certo ou errados, mas essas atitudes deixa sempre o clube vunerável, tanto que não existe mais expectativas por parte da torcida de que um time que vence hoje um campeonato possa repetir a façanha no ano seguinte.

Hoje o futebol traduz uma das maiores emoções coletivas de que se tem notícia,e a minha exclusão voluntária não fez falta a ningúem, mas fez um bem muito grande a mim mesma, porque me isentei de qualquer envolvimento emocional e ja não sofro mais se meu time ganha ou perde. Não faz a menor diferença e não perco nenhuma energia, aconteça o que acontecer.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

A VERDADEIRA VACINA

Em relação ao último post, eu sei que muitas pessoas não concordam com a minha opinião.
Que o governo americano fosse reagir era esperado, mas num momento crucial como aquele, o perdão das ofensas era uma oportunidade para iniciar um processo diferente no orgulho de um país que esquece que também cometeu vários erros ao longo de sua história .
O maior problema dos dirigentes do mundo é que alguns deles pensa que é Deus e os outros tem certeza que são.É o orgulho nacionalista que ja fez vítimas em todo o mundo,e continua fazendo. Basta lembrar as atrocidades da segunda guerra mundial, que mesmo que agente querendo não dá para esquecer. Situações semelhantes por causa do orgulho parece se repetir de tempos em tempos no mundo, e mesmo assim, o povo não apende a lição. Não que a gente deva baixar a cabeça ,mas diante da idéia de se cometer outros crimes o melhor seria ficar quieto, porque na verdade a tentativa de evitar outras tragédias causou outras tantas, como invasões, destruições e morte.O mundo não tem noção do que realmente traz uma guerra.Talvez seja a pior coisa que pode acontecer na terra. Nenhuma epidemia, pandemia,ou reações da natureza soa tão triste se comparando a irmãos matando irmãos, num instinto de crueldade, de animalidade, vistos em momentos de combate.O massacre da vingança não produziu senão mais ódio num povo que se alimenta de ódio.Todos nós sabemos que o antídoto contra o ódio é o amor. Mas infelizmente essa vacina ainda não está disponível em nenhum laborátorio que se conheça.Ela não rende lucros financeiros para um mundo materialista como o nosso. O povo americano não poderia jamais ficar calado diante de uma grande ofensa.
A revanche em nada contribuiu para a tranquilidade dos Estados Unidos diante de homens que colocam bombas em seus jovens e mata onde quer matar.Resultado: Infelizmente a liçaõ de onze de setembro foi em vão, quando ela poderia ter se transformado num marco histórico de mudança radical para a paz que tanto sonhamos.

REVANCHE

Enquanto os principais dirigentes do mundo discutem a paz.A ONU (organização das nações unidas) responsável por trabalhar pela paz no mundo não tem conseguido fazer com que essa paz possa de fato acontecer.
Um dos principais membro dessa organização e agora ganhador do prêmio Nobel da paz, vem demonstrando que é um homem sensato, mas ao mesmo tempo nos inspira algumas dúvidas a respeito do que realmente acredita. Qual a sua filosofia de vida? Se fosse ele o presidente na época do onze de setembro, teria tomado decisões como a que tomou o seu antecessor?
Será que os bilhões ou trilhões de dólares que eles gastaram na tentativa de combater o terrorismo valeu a pena? Era mesmo combater o terrorismo que eles queriam?
Naquele dia, onze de setembro, pensei comigo mesma que havia chegado o momento de um grande país SER GRANDE o bastante para tomar atitudes em favor da paz, e infelizmente isso não aconteceu.Que pena que as retaliações serviram para deixar ainda mais vazio os lares americanos que perderam filhos jovens, pais de família e tantas coisas mais. Quando será que o homem vai entender que um erro não conserta outro?

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

" A virtude é uma qualidade que enobrece uma mulher"


Um dia algúem muito especial, abriu o Livro de Jó, no capítulo 42 versículo 15 e fez uma grande descoberta que mudaria muitos caminhos. Esse alguém iluminado pelos mais belos ideais de vida também descobriu que era possivel passar para as outras pessoas a mensagem que aquele livro continha de uma forma também muito especial. Nascia entaõ a ordem internacional das filhas de Jó. Onde a base seria a história de um homem cujo exemplo de amor ,lealdade,honestidade e perseverança pudesse acordar nas moças a virtude que enobrece uma mulher.
Esse alguem de nome Ethel T. WeadMick a quem agora carinhosamente reverenciamos, iniciava assim a sua luta para que a mensagem pudesse ultrapassar os limites do seu país e alcançasse o mundo todo. Ela idealizou em como seria essa organização nos seus mínimos detalhes para que todas nós pudessemos compartilhar desses ensinamentos de forma simples e de rara beleza. Onde a humildade fosse ensinada como sendo base de um ser pleno em suas realizacões.O Bethel é tudo isso e hoje ele é para nós muito mais do que isso.O Bethel é luz em nossas vidas, luz que não se apaga, ainda mais quando nos unimos para apagar mais uma velinha no seu aniversário. Estamos felizes em dizer que nove anos é uma grande recompensa pelas lutas que travamos dentro desse templo para que essa luz fosse guia seguro no caminho de nós, peregrinas de conhecimento. Agora pergunto quem é o Bethel? O Bethel somos todas nós e se hoje comemoramos mais um ano de vida é por acreditar que as alegrias aqui compartilhadas são bem maiores que as dores.
Que as emoções superam em muito as decepções e que por isso somos uma só família.
Que a recompensa é o nosso sucesso rumo ao crescimento moral e espirutual.
Que a amizade crescida aqui entre lágrimas e beijos acertos e desacertos é o
que nos mostra os valores dos que se dedicam de corpo e alma por um ideal . .
Assim é o Bethel; assim somos nós. Parabens nosso Bethel, parabéns aos nosso pais, tios maçons que nos dão a sua herança e a Deus pelas luzes que iluminam as nossa vidas.

Esta foi uma cerimônia maravilhosamente apresentada por duas filhas de Jó no aniversário dos nove anos do "Bethel União e fraternidade de Pompéu nº 17". Onde por dois anos consecutivos fui Guardiã. Depois falo mais desse trabalho, que tornou-se uma realidade graças ao apoio das duas lojas maçônicas de Pompéu MG. Até lá.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Maledicência

Na segunda feira eu e o nosso grupo de estudos nos propomos a tratar durante essa semana de um assunto sério,muito sério que é a maledicencia.
Dever de casa: Não falar da vida alheia!
Puxa vida! Não é tarefa fácil, é mais ou menos como aquela brincadeira que agente perde quando fala, não... sim...porque...Quando pensa que naõ, estamos nós a falar o que devemos e o que naõ devemos. O costume está tão enraizado em nós que a lingua fica a mercê dos acontecimentos infelizes do cotidiano , dos sussessivos escândalos que não têm fim. E de repente soltamos o verbo, principalmente se estamos num grupinho onde a fofoca é o prato principal, Enquanto alguns falam lá da fulana, do sicrano, do vizinho, os outros riem,como se o sofrimento alheio fosse um teatro de comédia. Triste comédia!
Tudo vai muito bem até que essa fulana, esse sicrano esse vizinho etc. naõ passa a ser um de nós, nossos filhos ou qualquer ente querido, para agente desejar ardentemente que não divulgem essas falhas, e que elas não sejam motivos de falatório e piadas por quem quer que seja. Então sentimos a dor de não ser poupado pela linguas ferinas e sem caridade alguma, os erros e os deslizes ,muitos deles justificáveis aos nossos olhos. EH! mas agora não vou mais poder falar do Lula, nem dos políticos corruptos que não nos respeitam ?
Dizem que o mal naõ merece a nossa atençaõ,isso é verdade,Devemos acostumar a nossa boca a falar de coisas boas. Isso naõ quer dizer que devamos fechar os nossos olhos e ouvidos para o que acontece ao nosso redor. Temos de evitar sermos atingido pelo mal, e o conhecimentos da realidade é essencial para sabermos distinguir a nossa estrada , o que não podemos é ficar criticando o tempo todo, apontando o dedo para os outros enquanto quatro outros dede estão sempre apontados para nós mesmo.É não faltar com a caridade moral em relaçaõ as dificuldades que as pessoas tem no aprendizado natural, e errar faz parte desse aprendizado.Depois quem somos nós para julgar o outro? Quais as nossas credenciais ?Somos tão falhos e isso é que nos tornam iguais. O mundo não precisa da nossa participaçaõ na divulgação do mal. Ja tem os meios de comunicação que faz isso com lucro em cima.E o que ganhamos com as maldade? sim, ganhamos inimigos de todos os lados, influências negativas e o direito a resposta à altura da nossa açaõ.Paira em nós uma grande responsabilidade de ajudar na transformaçaõ de tudo que nos cerca,no ar que respiramos,na agua que bebemos e na igiênização do nosso íntimo. Sem contar que quem aderir a esse dever de casa se livra de vários aborrecimentos relacionados à conciência ou até mesmo a de ter que prestar conta do que falou e até do que não falou. Se temos o hábito de falar demais, corremos o risco de esquecer o que dizemos. Maledicência é sempre motivos de amolaçaõ e pode tirar o bem mais precioso da gente: A nossa paz .Livrar-se dela é mais do que nunca tranquilidade de poder andar de cabeça erguida e de coraçaõ aberto.De ter o direito de pensar diferente e aprender com os erros dos outros.
Ha! Mais do políticos... eu vou ter que fazer um esforço muiiiito grande.
Mas aí o Evangelho de Jesus vem dizer para nós:È preciso que venha o escândalo,mais ai daquele por quem o escândalo venha.

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Dia dos mortos

Hoje é tradicionalmente o dia dos mortos.
As pessoas comemoram esta data reverenciando os entes queridos que ja partiram, e que hoje vivem em outros planos de vida.São os mortos segundo a carne, que mais vivos do que nunca recebem as nossas orações, o nosso respeito e a nossa saudade.

Eu,pela minha fé,acredito que a prece feita de coração pode beneficiar e muito, aqueles que a recebem.E se dita de uma forma amorosa,pode até fazê-los felizes.
Desculpem os meus entes queridos se não fui ao cemitério,Não senti necessidade de fazê-lo.Sei que de onde eu estiver, posso mandar meu recado e isso eu ja fiz,quando abri o meu coração e lhes falei da importância que eles tiveram para mim e para todos que os amavam e ainda amam.
Pediremos a Deus que ilumine não só hoje mas sempre, os que ja foram,e que todas as flôres daqui enviadas possam ser recebidas, dando assim continuidade a essa grande energia chamada amor.

domingo, 1 de novembro de 2009

Ai vem o conselho tutelar...

Atenção adolecente!Ai vem o conselho tutelar...
Basta frases como essa num dia como hoje,véspera de feriado, dia de festa, de dormir tarde e de arrastões pela cidade porque o conselho tutelar de Pompéu está atento. Alguns são contra; outros a favor.O importante é que alguma coisa está sendo feita para evitar males maiores devido a uma liberdade sem controle e sem limites.
Todos podem ver quando passam pelos locais onde os jovens e até crianças costumam estar completamente soltas e o que é pior: Fazendo uso de bebidas alcoolicas.

O que será dessa nossa juventude?

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Tem gente

Tem gente que não é poeta,
Que não se preocupa em fazer versos.
Nem mesmo conheçe os pássaros que batem asas ao redor de si;
que pousa em suas janelas,decerto porque têm fome...

Tem gente que não sabe olhar a lua e decifrar seus mistérios.
Não acorda mais quando ouvir serenatas,
Não percebe as roupas que as pessoas usam ,se tem etiquetas,
ou se saõ de marcas piratas...

Tem gente que nem sabe dizer.
Se é primavera,inverno,verão,
Se sente o frio, o sol o vento...
É que o tempo tem dessas coisas .

Tem gente que nunca tentou compor uma música
por que a rima nunca dá certo
E o coração não quer aprender
a cantar.

Tem gente assim.Que naõ sabe fazer versos
que não olha pro tempo,
que não conhece os pássaros e
que não lê através da lua.

que naõ se importa com etiqueta.
que passa o ano como se fosse um dia somente

Porém,tem gente que tudo que quer desta vida
é simplesmente aprender a ser gente.

domingo, 25 de outubro de 2009

coisas pra se pensar

A primeira vez que ouvi uma amiga dizer que eu era responsável pelos meus sonhos,fiquei deveras injuriada.Como é que alguém pode falar assim com a agente? Como posso eu ser responsável por uma coisa que está fora do meu domínio? Agente sonha tanta besteira,tantas situações vividas aos pedaços,misturas de aventuras mil, que impossível se torna assimilar o que é real do que é fantasioso.E quando agente sonha com gente completamente desconhecidas nesta vida? Acredito que todas as pessoas que sonham muito, pensa assim como eu,até o dia em que essa amiga me disse:Sandra você é responsável pelos erros e acertos que comete quando sonha... Muito cuidado com o que faz...Foi então que parei pra pensar.Não convencida ainda do que acabava de ouvir,perguntei? Como eu posso ser responsável, se não sei por onde vou e nem mesmo o que faço enquanto durmo? Eu não posso mandar nisso! E ela passou a me dizer sobre alguns exemplos interessantes vividos por ela e sobre o que chamamos maturidade além do cérebro físico; A relaçaõ de quem somos independente se estamos acordados ou dormindo.Os sonhos nos levam sempre aonde agente mais deseja e isso pode ser perigoso,se esse desejo não for condigente com o que a moral e os bons costumes esperam de nós. Que o ser aproveita os momentos de despreendimento do corpo carnal para alimentar vontades e fantasias que ficam ocultas e despercebidas durante o dia, mas que espera no inconsciente o apagar das responsabilidades para então satisfazer os seus anseios.Um exemplo:Eu odeio uma pessoa,mas a razão faz com eu não fale nela ou que não a pertube. Assim que durmo o meu espírito poderá ir lhe procurar para tirar satisfações.Ou seja, as minhas tendência são alimentadas através dessa válvula de escape que é o sono físico.È claro que muitas coisas são também reminicências das tribulações do dia,dos encontros com os espíritos desencarnados que nos querem bem.Mas quando se trata de buscar alguma coisa ,iremos sem dúvida, atrás das nossas preocupações e desejos inerentes da alma.Por isso o cuidado que a minha amiga falou passou então a ter sentido.
Comecei a analisar que muitas coisas eu fazia nos sonhos, porque sonho é sonho e logo eu ia acordar,pensava! Então descobri que eu tinha essa conciência quando fazia ou deixava as coisas acontecerem. Realmente pude admitir que ela,a minha amiga, tinha total razão e coloquei me a serviço da observação.Percebi que a minha intençaõ me vigiava mais,me policiava mais.Passei a rezar mais antes de dormir,de colocar a minha vontade de ser útil,nas mãos do meu anjo guardiaõ.Algúem pode até ficar injuriado como eu fiquei no primeiro momento, mas com algumas experiências no assunto voces notaraõ também a diferença, quando aprendemos a nos conhecer melhor. Tanto FAZ SE dormindo ou acordado,nós só fazemos aquilo que realmente queremos fazer.O que precisamos é estar concientes que quando acordar vamos estar levando conosco o resultado e as consequências das vibrações vividas durante a noite.
Elas nos dirão aonde fomos e o que fizemos, se descançamos ou ficamos mais cançados, se sentimos mais felizes ou infelizes. Por isso mesmo se você não acredita,páre e analise .Experimente dizer um "não" na hora daquele sonho estranho em que você se vê fazendo coisas que não faria, se estivesse acordado.
E depois diga glorioso ao acordar: Graças a Deus !

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

paz+ciência

Paciência é uma virtude que poucos têm.Num mundo acelerado e cheio de metas a cumprir,a ansiedade das pessoas ultrapassa as fronteiras da saúde e criam doenças que a medicina naõ consegue curar.
No livro Gôtas de Amor/Mensagens de Maria de Nazaré psicografado por Mitzi Pereira ponce de Leôn.Diz:"Deus deixou as plantas para curar as doenças mas os homens criaram as emfermidades psíquicas.E então Deus criou a prece para que nós mesmos buscasse a nossa cura".Não há cura para a impaciência se não exercitarmos a fé.A gente fala que reza todos os dias,blá,blá,blá,que coloca os problemas nas mãos de Deus,mas é tudo da boca pra fora porque ficamos lá com as duas mãos amparando por baixo para caso ele não segure...Onde está a caridade para com nós mesmos quando não sabemos esperar a hora e o tempo das coisas acontecerem.E será que agente faz por merecer? Será que pedimos o que podemos receber, ou se somos capazes de com sabedoria, gerenciar sem prejuízo para nós e os outros, aquilo que ansiosamente desejamos? Sem contar que todos nós sofremos com a falta de paciência: No trânsito,nas filas do banco,nos postos de saúde,nas compras...É um caso sério porque em todos os momentos temos lá mil motivos para perder a nossa paz+ciência,ou pouca ciência que seria mais correto de se dizer.Quem tem sabedoria não sofre desse mal,porque sabe que o curso da vida não muda por causa da nossa ansiedade.E que os transtornos são provas avaliativas para nos testar a capacidade de vivenciar situações em vários outros campos de ações.A vida exige de nós hoje mais do que paciência;Ela exige verdadeira abnegaçaõ para colaborar nos difíceis caminhos da transformaçaõ social que o mundo enfrenta.Como saber se somos capazes? Se podem contar conosco? Ou algúem pensa que viemos a esse mundo pra ficarmos de férias?

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

INVEJA

Você é invejoso?.Ou na sua casa o invejoso é seu irmão?
Coisinha difícil é agente ter tempo para se auto analisar.Mais difícil ainda é admitir os nossos defeitos E quando um deles é a inveja? Imperfeiçaõ humana que vaga pelo mundo desde as mais remotas histórias da humanidade.Quantos Reis e Rainhas ja perderam os seus reinados por causa da inveja.
Erva danina que danifica relações,fomenta a discórdia e traz a guerra.Se formos perguntar por aí se alguém tem inveja de alguma coisa,dificilmente esse algúem irá dizer que sim,porque tem vergonha de expor os seus sentimentos.Muitas vezes a pessoas não indentifica o que sente,não dá nome,não quer saber.Sente-se infeliz e é tudo que sabe.Então culpa os outros por coisas que dão errado em sua vida,culpa a Deus, culpa o mundo.
Expor os sentimentos ninguém precisa ,mas reconhê-los é necessário para que se possa resolvê-los.Ningúem consegue ser feliz com esse tormento dentro de si.Se você ja sentiu algo parecido com o que segue abaixo,então fique alerta:
Ja desejou o mal de alguém porque esse alguém conseguiu aquilo que você tanto queria?
Voce participou de um concurso e perdeu.Consegue torcer pelos que ficaram em sua frente?
Ja sentiu ódio gratuito por quem possui um objeto do seu desejo?
Ja tentou obstruir a luz de seu companheiro de jornada para que ela não brilhasse mais do que a sua?
Ja desmereceu a inteligência do próximo porque ele decifrou enigmas que você não conseguiu?
Ja brigou com sua mãe ou seu pai dizendo que ele gosta mais do seu irmão do que de você?
Ja perguntou pro namorado(a)na hora da briga:O que ela ou ele tem que eu não tenho?
Ja sofreu calado, irado, as inconformações por naõ ter tudo que pensa merecer?
Ja fez um gasto exagerado,fora do seu orçamento abitual,apenas para se mostrar aos outros?
O problema é a energia que você despende quando sofre com esse tipo de comportamento.Sem contar que quem assim age não consegue esconder as suas reações e faz sofrer os que com ela vivem.Há muitas maneira de superar a inveja.Primeiro aceitando que ela existe,depois revendo os seus valores.O que você sabe fazer e que faz bem feito?
Explore os Dons que Deus lhe deu para descobrir o que ele quer que você seja na vida.Você deve ser bom em várias coisas e a vida oferece tantas opções.Porque invejar pessoas que aparentam ser, mas você nem sabe se é.Abra seus canais de comunicação com Deus através da prece e aprenda a escutá-lo pela intuiçaõ. Estude mais pra aumentar os seus conhecimentos,ocupe o seu tempo ocioso com leituras edificantes,pratique esporte,dança,música.Visiste de vez em quando um asilo,um hospital.Participe de grupos religiosos.Se você não tem religião,Vá em busca daquela em que você se indentifica mais, e então participe.Deus está em todas elas,esperando você dizer: O que buscas?.

A religiãso têm por dever ajudar na transformaçaõ moral do ser.Se aquela que você escolher estiver fazendo isto e você se sentir bem,abrace-a com carinho.Aprenda a se amar mais,você é único para Deus embora exista milhões de filhos dele por aí à fora. Ninguém é perfeito nessa terra,mas combater os nossos defeitos é obrigaçaõ instranferível.Se fossêmos perfeitos não estaríamos aqui.Portanto transformar o sentimento da inveja é serviço inadiável se quisermos viver em paz.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

FALTA EDUCAÇÃO

Ás vezes páro para pensar sobre as coisas que acontecem no mundo.As pessoas esperando milagrosamente que os seus dirigentes resolvam os problemas da naçaõ num piscar de olhos, que basta mudar o presidente,governador,prefeito, deputados...e ficam esperando a cada nova eleição esse grande milagre acontecer.
A nossa situação é grave porque se formos analisar, ela existe por falta de praticamente tudo o que se refere a educação moral.Com a pressa de atingir as metas de crescimento monetário,o homem não deixa o tempo para se educar e educar seus filhos ou seus dependentes.
Gente, os exemplos saõ muito ruíns.As crianças estão sem referências para seguir seus caminhos.Os pais em geral não tem mais tempo para eles, e com isso cresce neles todas as imperfeições que deveriam ser sanadas na infância,quer dizer até os sete anos mais ou menos, quando eles são mais maleáveis às mudanças. É O TEMPO DE CORTAR AS ARESTAS da inveja, do ciume, da vaidade, da arrogância etc. E a criança precisa ser educada, ela não nasce pronta e é sempre muito receptiva às lições de amor que devem ser ministradas por aqueles que são responsáveis pela sua educação.Nós sabemos que educação se faz muito pelo exemplo dos pais através de um comportamento exemplar. A criança observa tudo que passa à sua volta.Como o pai pode ensinar o filho a não fumar se ele fuma o tempo todo? A ser honesto se ele engana as pessoas. A ser educado se ele grita com a esposa,com os filhos expressando dentro de casa a raiva que ele traz de fora.As pessoas às vezes são assim, elas são boazinhas na sociedade em que frequentam, enquanto que fazem sofrer os que estão dentro de casa.Muitos país mentem perto dos filhos ,mandam dizer que não estão em casa quando são solicitados e o que é grave,pedem aos próprios filhos para fazerem isto,depois os castigam quando estes mentem na rua.Ensinam os palavrões enquanto o filho é bebê ,porque ele repete de forma engraçada. A falta de amor no lar cria todas as situaçõe socias que o mundo enfrenta hoje e quer que algum presidente resolva isto?As crianças crescem vítimas da insegurança em relação a quase tudo.Acreditam que os bens materiais é que são o grande garantidor de sua felicidade e por esta razão tudo fazem para tê-los.Os nossos políticos hoje são essas crianças de ontem que tiveram tudo, menos uma educação moral que os ensinassem que a verdadeira segurança na vida não se baseia no acúmulo de patrimônio e sim na conciência do dever cumprido.Eles tiveram exemplos equivocados e agora somente a lei de açaõ e reaçaõ poderá fazer com que eles voltem a enxergar o Aqui se faz, aqui se paga ou: Com ferro fere,com ferro será ferido.Não há outro jeito. A vida nos devolve tudo que damos a ela. A natureza ja faz isso. Algúem ja percebeu?

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Cuide-se

Gente,viver parece fácil,mas conviver com as pessoas de forma prazerosa não é tão fácil assim.Outro dia na reforma íntíma alguém perguntou? Qual o verdadeiro sentido de viver correndo atrás de coisas e pessoas pela vida afora,sem nada poder deter.O que nós somos? O que de fato nos pertence nessa vida?Eu posso responder o que aprendi.Somos estagiários na terra e de nós mesmos. O que podemos realmente deter é os nossos pensamentos,porque neles agente manda e direciona para onde quisermos. Isso se acreditarmos, porque parece que o homem no mundo não se deu conta até hoje que o pensamento é seu bem mais precioso,que pode libertá-lo ou escravizá-lo por um longo tempo.E como temos sido escravos da ignorância?E o que é pior,do não querer saber?Fazemos muito mal a nós mesmos quando deixamos sem limites esse filho que voa indiscriminadamente por lugares sombrios,em busca de qualquer sonho que satisfaça uma fantasia.Sonho de riqueza,de facilidades e de superação.sonho de beleza,sem trabalho,sem esforço.Sonho de ser o primeiro a chegar na ilha da fantasia e ser convidado a entrar na arca de Noé. Como se o universo fosse o nosso limite.Agora se você quer saber como mudar essa situação, saiba que quando dirigimos essa energia para as coisas de Deus,como a humildade,a ponderação,a tolerância e o amor, então tudo muda e muda para melhor. Não há mais ilha de fantasia,mas a certeza de um novo lar.Não há mais a arca de Noé,mas a certeza que não precisárá se esconder .Não há limite no universo porque nós somos parte dele.
Não deixa seu pensamento perdido por aí,leia bons livros.Pratique uma obra de caridade a cada dia de sua vida.Dê uma palavra de carinho.Exercite o seu lado bom e encontre a sua essência divina.Ela está em algum lugar dentro de você.Você existe.

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Importante perdoar

Faço parte de um grupo de estudo sobre reforma íntima .Frequentemente estudamos a respeito de um sentimento que facílmente nutrimos por alguém quando nos sentimos injustiçados,magoados e sofridos.O que primeiro nos ocorre é pensar em vingança,e desejar que esta pessoa pague pelo mal que nos acometeu.
Não é fácil para um simples mortal e com tamanho orgulho, renunciar ao direito de cobrar do outro o devido reparo.No mínimo vai querer que o fulano sofra até que pague por tudo que o fez passar,quando não mete,ele mesmo, a colher de pau e inferniza a vida do outro.
Torna-se cada vez mais necessário promover encontros com debates sobre temas, que fale do homem como um ser completo"corpo e espírito" e se possa tratar com seriedade desse assunto. Isto é sem dúvida nenhuma promover qualidade de vida.Há gente que nem se lembra de investir em si mesma para o aperfeicoamento do seu caráter,achando que essas coisas não são importantes e não interfere na sua busca pela felicidade. Ignora que é possível desfrutar de um grande bem quando se alívia o peso da vida aprendendo a viver melhor.Bem poucos suportam com precisaõ o menor dos espinhos que lhes possam picar, porque não o aceitam como um ensinamento ou uma chamada de atençaõ a lhe dizer:- Olha tem algo errado com você,observa as suas atitudes e verás por que atraiu para sí esse espinho.
Somos condicionados a uma lei de açaõ e reaçaõ e nada nos acontece sem que tenhamos contribuido para isso.Se usássemos melhor o ensinamento Divino de não fazer aos outros aquilo que não queremos para nós,com certeza evitaríamos muitos desses espinhos que nos atinge através da dor.E o amor possa finalmente nascer em nossos corações.

sábado, 3 de outubro de 2009

O tempo passa...

Repensar a vida.
É como sentar-se numa poltrona,fechar os olhos
e ver os tapes passarem .
Acionar o botão do tempo,
Fazer os tempos voltarem.

Revisão dos sonhos primeiros
Que a vida serenamente tranformaram
Perderam-se aquela cor,que antes os meus olhos via.
agora eu os sinto tão distantes, em nostalgia.

Não tenho mais a pressa que outrora
movimentava os anos esquecidos.
Esquecidos porque passaram inesperados
Inesperados porque ja foram vividos.

Agora o tempo não volta mais
Somente de vez em quando aquela brisa regressa
Antes era brisa, hoje é saudade,mas é a brisa,
Que interessa?

Fechou-se janelas; virou-se esquinas.
E ja não se fazem mais colchas de retalhos.
Meu filho cresceu,minha rosa... desfolhou-se no vento
minha estrêla, meu ídolo!
Depreciou-se com o tempo.

Ah!se o além fosse mais perto eu o teria alcançado.
Se o amor fosse mais justo não o teria perdido
se o ano fosse mil dias,eu quem sabe,
Teria forças para ver esse filme até o fim.

segunda-feira, 28 de setembro de 2009



Essa foto tambem faz parte da coleçaõ "fotos de minha terra"

sábado, 26 de setembro de 2009

ELES ESTÃO DE VOLTA

Olá,estou de volta. Depois de ficar horas pensando na vida e nos seus porquês ,consegui tirar algumas linhas para jogar no ventilador.É! Porque eu nem sei se alguem vai ler(só eu mesma,ou minhas filhas, quem sabe?) A Bruna, Andréa , Stefânia. "Tutu" como nós carinhosamente a chamamos .Bem deixando para lá todo o resto, eu pensava no nosso país, nos políticos mais especialmente, pois se aproxima mais um período de eleição e sentimos que eles,os polítiqueiros, aos poucos saem da cova,como naqueles filmes de terror que passa de madrugada na tv e que agente ,quando perde o sono levanta ,começa a assistir e aí mesmo é que não consegue mais dormir.Pois é,aquele cara que estava sumido...sumido e aí ele aparece pra pedir o nosso voto.Dizem que todo o povo tem o governo que merece.Meu Deus! Isso é verdade? Então esse é um momento para refletirmos bastante sobre os nossos comportamentos em relaçaõ a pureza de sentimentos.
O povo realmente ainda não está merecendo um paraíso na terra.Quando eu digo o povo eu também me incluo, visto que votamos sem a menor responsabilidade social.Juro que se me perguntarem em quem votei na última eleiçaõ pra deputado e senador...Não me lembro,é serio!Então?Quem eu ajudei a colocar no poder?Será que tive o cuidado de olhar a ficha completa do candidato? Suas propostas tinha realmente fundamento?ou será que votei em quem falava em defender os meus interesses imediatos.Será que se alguem defende a area em que atuo ou que dependo para viver ,o resto não importa? sinto que lutamos contra um deus poderoso dimais na terra:O ma- te-ri-a-lismo.A tempos esse deus vem atrasando o progresso moral dos homens que confia mais nele do que no verdadeiro Deus de amor e de sabedoria que mesmo nós sendo quem somos ainda não nos abandonou,confia em nós.E é por saber disso que quero dizer agora que eu também confio nele.
Então eu me encho de esperança e ponho a pensar que o mundo começa a mudar sim, e eu e você podemos participar dessa mudança, mudando junto com o mundo.Não quero mais perder tempo criticando esse sistema,mas quero poder fazer alguma coisa para transformá-lo e é a partir de mim mesma.As coisas não vão acontecer milagrosamente se não fizermos a nossa parte. É isso que venho estudando a algum tempo e hoje mais do que nunca me cobro sempre a respeito do que faço aos outros e a mim mesma.Aprendi sobre a lei de açaõ e reação e descobri que DEUS que a tudo vê saberá no momento oportuno intervir para o bem de toda a humanidade.

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

CAMINHOS...


Fotos de minha terra.

PENSE NISSO.

É mais cômodo dizer que os meus fracassos foram culpa dos outros.Assim eu não tenho que fazer nada pra mudar...Veja só...

Prefiro GUARDAR mágoa do meu sócio e dizer que ele "acabou"com a minha vida, do que reconhecer que deixei a minha parte por fazer.

- Só pode ser macumba das bravas !

É mais fácil LEVANTAR a voz para quem me recrimina, do que ter a humildade de admitir que fiz qualquer coisa que não devia.

-Quem ele pensa que é?

É mais simples dizer que ROUBARAM o meu emprego,do que admitir que eu nada fiz para conservá-lo .

-O que eles têm é inveja de mim,isso sim.

Tudo é mais fácil. O difícil é rever velhos conceitos, pisar no nosso orgulho camuflado de "amor próprio" e enxergar a nossa inferioridade moral e intelectual diante dos desafios que testam o tempo todo a nossa posição diante da vida.Desafios que só vencem aqueles que se reconhecem nem mais nem menos do que realmente são.Dos que não se preocupam demasiadamente em ver os defeitos dos outros e sim em analisar com justiça e amor o que fez ou deixou de fazer durante todo o dia e dos que desenvolve ainda que a passos de tartaruga o sincero desejo de ser melhor.

Até !Ah! Como foi o seu dia?Ja fez a sua análise ?

terça-feira, 22 de setembro de 2009

POLUIÇÃO


Uma mancha no céu azul.
No céu que antes era azul.
Que desastre! E agora?
-Onde está o cruzeiro do sul ?
-Quem sujou o Brasil de outrora.
É o status que se estabeleça
E que se mude a cor do céu;
Afinal,o que importa?
Essa negra fumaça,
que te enche a taça,
que te lota os bolsos e
que te eleva o valor
E a noite ao deitar no travesseiro macio,
com sonhos programados,por sonos sombrios.
-Não sou eu o poluidor !
Quem tem culpa então?
As máquinas? As flores? O verde,que chora a destruiçaõ
ou essa cabeça vazia
cujo mérito um dia,foi descobrir que podia
sujar o mundo com as maõs.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Parar de fumar

Mudanças na nossa vida acontecem por dois motivos:Por opção voluntária ou imposiçaõ da própria vida ,que é quando agente têm que se adptar,quer queira, quer não.
Parar de fumar é uma delas. Dizer para quem fuma que o cigarro faz cançer, ou que maltrata o pulmão e diminue o tempo de vida é totalmente inútil, visto que todo mundo tá cançado de saber.Penso que todo fumante desejaria não ser viciado, esse é o princípio dos fatos, importante, porque põe o cara para pensar em como deveria ser, se parasse.Muitos ficam apenas nisso,pois a dependência é muito grande e eles acabam por deixar a idéia para a dia seguinte .

A primeira coisa é se olhar no espelho .Será que Deus vê em você essa coisa que você está vendo agora? Acha que ele desistiu de você? Não! Você é que está desistindo,portanto ainda existe esperança.Tentar sempre é um ato de sabedoria e contar com "ele" é um ato de confiança.Forças são enviadas à você todos os dias,mas você prefere não contar com elas, e as suas são insuficientes para vencer tamanho desafio. Ja viu a elasticidade que têm esses atletas de olimpíadas? Acredita que eles conseguem isso de graça ou simplesmente nasceram assim?

Não, isso é fruto de exercícios diários , constantes recomeços e até de muitas lágrimas.Você também pode fazer o que eles fazem se quiser.Mas por hora você não precisa ser atleta de olímpíadas.Você precisa parar de fumar.Você foi criado para ser o construtor de você mesmo.Pode apostar que se der um passo para conseguir o que quer.Deus dará quatro para lhe ajudar.Conte com ele e recomeçe todos os dias como se fosse o primeiro.Boa sorte.

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

foto de minha terra.

ATÉ A PRÓXIMA PRIMAVERA

O vento nas tardes de primavera
A ninar as folhas,cor,esperança
Fazem das criaturas mais belas
Trazer em si um coraçaõ de criança.
Sempre em festa vive a floresta
Onde as flores entre si batizam
Queria sempre que fosse primavera
o verde eterno,que dimais precisam.
Fim de festa, fim de alegria
É o verão que se espera.
A chorar as flores se despedem...
Com um adeus até a próxima primavera

terça-feira, 15 de setembro de 2009

A GULA

Hoje eu acordei com uma fome danada e,antes mesmo de fazer o café eu ja estava abrindo a geladeira procurando alguma coisa para comer. O que fazer? É claro que eu me deixei levar duplamente quando dali a poucas horas lá estava eu de novo cometendo as mesmas gulodices de comer muito além das minhas reais necessidades. Se de um lado eu queria parar com aquela comilança toda, algo em minha mente dava ordens a esse lado que ficasse quieto no seu canto e que eu naõ queria saber da intromissão dele...Eu ia comer de qualquer jeito! Então em fraçaõ de segundos parei um pouco e senti que dois caminhos se abriam em minha frente.Não tive dúvidas que a sugestão de ceder ao impulso de comer era a mais forte e com tendência a vencer a outra. Isso me levou a pensar (mas só depois de comer) que na vida é exatamente isso que acontece.Ja pensaram que estamos sempre diante de dois caminhos? O bom é quando temos condições de indentificar as nossa fragilidades para nos propor as linhas de mudanças no sentido de fortalecer essas fragilidades e tomar a melhor soluçaõ. Você que ja entendeu; que precisa crescer como pessoa, que precisa enfrentar o homem velho que existe dentro de você se reformando para ser melhor a cada dia,vai saber a hora de aproveitar todos os recursos disponíveis pelo criador para abondonar ainda que aos poucos os vícios enraizados pelo tempo.É difícil ?
Claro que é! Mas não é impossível quando voce assume o que quer, e decide trabalhar no laboratório íntimo de sua alma.Reforma íntima não se compra,não delega a terceiros e nem recebe de herança. Olha voce que como eu come muito,então por hoje nessas próximas 24 horas vamos ficar longe da geladeira,do armario, da cozinha e da lanchonete da nossa rua se fo o caso. Se somos fracos na vontade é preciso que fujamos das tentações se sabemos que ela é irresistível.Vamos deixar falar mais alto essa voz humilde que se calou, mas que agora quer gritar bem alto para ser ouvida."voce ja comeu o suficiente para manter o equilíbrio físico". O espelho e a alta estima agradece.


Depois vamos falar do fumo. Até mais!

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Uma face da vaidade

Das várias imperfeições humanas,há uma que verdadeiramente se caracteriza: E a vaidade camuflada de timidez.
Por que será que esse sentimento maltrata e faz sofrer?
A ideia da iniciativa é sempre um risco de o resultado não ser o que se espera,e o medo é a maior barreira que separa o tímido do convívio social,uma vez que ele não se permite errar e se deixar mostrar como realmente é.
Ele não consegue vivênciar a sua própria fragilidade, não admite que os outros saibam a sua real condição e por isso se esconde para não correr demasiado risco perante as pessoas que o acolhe. È rebelde consigo mesmo e vaidoso no sentido de querer sempre ser perfeito. Necessita da aprovação alheia o tempo todo.Importa sempre com que os outros vão pensar dele.
Superar a timidez sem combater a vaidade que o o move é praticamente impossível.Vale a pena esquecer um pouco esse conceito de poder agradar sempre e a todos,nem Jesus consegui isso.A sociedade que nos cobra tanto,nada faz por merecer esse esforço. Quando admitimos a nossa pequenez diante do universo,fica mais fácil enfrentar os novos desafios e as nossas limitações.Somos analfabetos de nós mesmos,sabemos tudo da vida dos outros,mas muito pouco de nós mesmos.O conhecimento interior seria o fortalecimento para tudo isso,só que as pessoas sempre esbarram no orgulho e na preguiça de se auto analisar,justamente porque esse trabalho não se delega a ninguém. E quem se dispõem ?
A escuridão existe para valorizarmos a luz e os erros são lições no caminho evolutivo. As experiências dos outros nem sempre servem para nós. Que importa as críticas? O que tem isso de mal?Alguém tem tanta moral assim pra sair por aí criticando as falhas dos outros ? Por acaso o mundo pára quando eu pago algum mico. Serei eu assim figura tão importante para que o mundo me perceba? Aí reside a nossa tola vaidade. Que a reforma íntima,antídoto contra todos os males, pacifique os homens de vontade firme e traga a esperança de vivermos em uma sociedade mais feliz.
Esse artigo também está publicado em http://www.webartigos.com./articles/2005/l/uma face da vaidade /pagina1.html/print

domingo, 6 de setembro de 2009

vícios

Quando agente houve falar de vícios,logo vem a imprensão de que viciado é aquele que bebe muito,que fuma que usa droga e coisa parecida.Observando algumas pessoas ,ouvindo palestras eu pude entender o que existe de vícios ao redor e dentro de nós e (olha que alguns são tão sérios e desastrosos quantos esses ja conhecidos por todos) que deveriam ser admitidos o mais rápido possível para que fossem tratados até mesmo como doença da alma. Quando eu digo doença é porque eles fazem em nós um estrago muito grande. Em se tratando de reforma íntima não podemos esquecer que o auto conhecimento é de suma importância para se ter um bom diagnóstico.Tudo que fazemos com excesso e constância prejudica o nosso equilíbrio físico e emocional e pode ser considerado um vício,porque passa nos governar e aos poucos perdemos a condição de direção sobre a nossa vontade. Tem pessoas que adquire a hábito de falar palavrões, de bater a porta na cara das pessoas,de atravessar a rua com o sinal fechado, de roer a unha de sentar no banco da praça ou na porta da casa pra falar dos outros.Saõ tantos eles que não dá pra falar nesse tópico nem da metade.Aos poucos agente vai lembrar dos outros e vamos estar sempre falando aqui sobre eles.O que realmente eu queria era que você aí do outro lado se analise bem e se descobrir que tem algo em voce que naõ consegue mais dominar ,então é a hora de parar e se preparar para a grande açaõ de extirpá-los ainda que devagar,mas um pouco a cada dia.O que acontece é que mais cedo ou mais tarde agente acaba colhendo os frutos amargos dos nossos vícios e nessa hora o viciado em seja lá o que for, ainda acaba culpando outras pessoas pelos atropelos da sua vida,cometendo aí mais um vício que é o não enxergar o seu próprio erro. A verdade é que naõ conseguimos nos modificar de uma hora para outra,a vida não dá saltos.Cada experiência nossa leva tempo, mas se formos verdadeiros na intençaõ o tempo trabalhará a nosso favor.Não podemos nos esquecer de Deus como força suprema a nos sustentar em todos os momentos decisivos da vida e livrarmos de nossos vicios e defeitos é sem dúvida os maiores momentos de nossa vida porque é a superaçaõ de nós mesmos.É a vitoria de uma batalha íntima que só Deus pode comprender.

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Acordar em paz

Sempre quando acordo de manhã antes mesmo de abrir os olhos ,eu penso sobre o dia que começa.Se o estômago der aquela alfinetadinha é porque tem algum babado pra eu resover. Então lembro de você Jesus, que eu amo tanto, e agradeço por me lembrar que se há problemas, igualmente há uma soluçaõ, desde que eu a procure com a sua autorizaçaõ .E você como tem acordado? Você ja pensou em abrir os olhos e agradecer ao pai criador por ter lhe dado mais um dia de vida,quando muitos não acordam? Então experimenta fazer isto e verá como esse mesmo dia lhe receberá de braços abertos.Monte guarda em seus pensamentos PARA QUE TODOS OS DIAS DE SUA VIDA SEJA SEMPRE UM GRANDE DIA.Depende de você.

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Mal do século

O que é orgulho? Eu tenho,você tem e nós temos.Somos cheios de orgulho camuflados de amor próprio de auto estima e outras coisas mais.
Tudo bem que eu me orgulhe de ser isto ou aquilo,mas eu não tenho é o direito de com isso me sentir superior ao meu semelhante e nem de me julgar mais do que sou,pois no meu orgulho eu não aceito comparações que possam me rebaixar.Não aceito críticas,nem ofensas,nem verdades que não seja a minha.
No meu orgulho eu não tiro a minha máscara que adaptei para ser, na sociedade em que participo, aquilo que querem que eu seja.Não levo desaforo para casa,não erro (o erro é sempre dos outros) e estou acima de qualquer suspeita.
Ah! O que mais o meu orgulho me faz?Precisa mais do que me fazer tremendamente infeliz?
Tendo que todos os dias lutar como um Leão acuado para que as pessoas a minha volta reconheça em mim um valor que na verdade eu não tenho certeza de possuir.
É deveras desconfortável a posiçaõ que o nosso orgulho nos coloca diante da vida.Eu apontei aqui algumas das características de uma pessoa orgulhosa que aprendí lendo o livro "MANUAL PRÁTICO DO ESPÍRITA" DE NEY PRIETRO PERES e confesso a vocês que me indentifiquei em muitas delas. Até então eu pensava que não era tão orgulhosa assim. Quanta ilusão! Olha gente, o que eu quero dizer aqui é que nós precisamos parar e analizar nossas atitudes se queremos realmente um mundo melhor pra se viver.Se o nosso propósito é contribuir para que a paz chegue em nós, temos de nos conhecer melhor.Descobrir quem realmente somos é a única receita para que se possa fazer um bom diagnóstico e daí encontrar a devida medicação.
Não somos o que pensamos ser, somos antes de tudo falíveis, arrogantes e sempre vai ter algúem que sabe mais do agente. Sempre foi assim, não foi?Por que será que rever conceitos e atitudes que não deram certo é tão difícil .E voltar atrás,pedir desculpas...
Para quem quer lutar por uma boa qualidade de vida, essas coisas não podem passar despercebidas.E reforma íntima é qualidade de vida.
Aprender a ser humilde não é fácil.Se agente achar que ja é humilde,então é aí que está o perigo de pensarmos que nada precisa ser feito,então nada será feito.Não acredite nisso, e faça uma análise sincera ao seu respeito.Se quizer comente alguma coisa aqui.
Até mais.

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

reforma Íntima


No corre corre da vida sempre encontro pessoas desorientadas ,descrentes,sem qualquer esperança num futuro melhor.E eu aqui pergunto? Será que a situação de hoje é muito diferente de antes ? São tantas perguntas e tão poucas respostas que possa ajudar os sofredores e sofridos da vida a reequilibrar as mentes e os corações Não existe respostas prontas e receitas milagrosas.
Elas não se encontram por aí! Foi pensando nisso que passei a procurar as possíveis soluções para a verdadeira crise que enfrentamos.Ela não é só financeira,não é só política,mas é principalmente moral.Diante dessa convicção eu espero sinceramente poder contribuir para caminharmos rumo ao descobrimento de nós mesmos.O homem progrediu muito o seu intelecto,a sua posiçaõ no mundo, mas não venceu o seu orgulho, sua vaidade excessiva ,sua arrogância e a sua impaciência.
O progresso material é uma realidade que não podemos ignorar, mas ao mesmo tempo assusta, porque ele nos dá ferramentas de dois gumes,onde o mal alcança patamares assombrosos de dimensão universal.
O bem também tem seus poderes,mas antes de tudo para sobrepor ao que aí está seria preciso que a maioria reconheça a sua fragilidade exposta a um mundo desconhecido que nem os cientistas ,nem os intelectuais ainda descobriram,ou se descobriram fazem questão de esconder.
Com tanta coisa pra se fazer nesse corre corre ,os dias passam sem que as pessoas olhem para dentro de si mesma. Quem realmente se conhece? Quem sou eu agora? E no momento que a avalanche de problemas chega na minha vida .Como eu vou reagir? Ou eu não vou reagir e entrar em depressão.Antes disso fica aqui um convite: Vamos fazer uma reforma íntima ?

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

seja bem vindo

É com muito amor e alegria que acabo de inaugurar esse espaço,que não é somente meu , que é também seu.Ele deverá nos proporcionar momentos de reflexão,de alegria e de prazer ao dizermos sobre tudo aquilo que pensamos. Conto com voce,visitante amigo que a partir de então será sempre muito bem recebido.
poesias, artigos ,idéias ,opiniões
reflexões, comentários ,roteiros audio visuais e muito mais.

sábado, 4 de abril de 2009

Resgate

Título do Projeto
Resgate
Autor
Sandra ferreira de Faria vieira
1.Storyline
"Resgate" conta a hístória de um casal dividido entre o amor e o trabalho. Levado pelo medo do passado, a intuição leva carlos a fugir do amor de sua esposa. Com a justificativa da profissão, ele vive distante da família e desconhece um grande drama por que passa Helena. Só e aflita, ela se apega ao dois filhinhos, e a única amiga Carola para suportar a dor, a saudade e a incerteza da volta de Carlos, que de uma hora para outra se torna um prisioneiro de guerra.
ROTEIRO

TÍTULO:
RESGATE

AUTOR: SANDRA FARIA VIEIRA
CATEGORIA: MÉDIA METRAGEM.

STATUS: INÉDITO.
FADE IN:


EXT. AEROPORTO-SEIS HORAS.


No céu de Belo Horizonte o avião aproxima. Após aterrizagem abre-se a porta, um homem de trinta e cinco anos, moreno claro, olhos castanhos aparece na porta e desce. Ele tem uma mochila nas costas e uma pasta na mão. Carlos Cury pára e olha pro céu. Começa a chover, então abre a mochila tira a capa e se veste.

EXT. FRENTE AO AEROPORTO-MANHÃ

Carlos acena para um táxi que aproxima. O carro pára e o motorista abre a porta. Carlos senta no banco de trás do automóvel e coloca o cinto. Depois Olha pelo retrovisor e vê o rosto do motorista. Homem de estatura forte, olhos e bigode escuros, rosto redondo 55 anos.

Carlos sorri enquanto olha sua aliança na mão esquerda. Tira-a do dedo, brinca com ela e a coloca novamente no lugar.

EXT. RUAS E AVENIDAS-MANHÃ

Música suave, enquanto o carro segue por ruas e avenidas, parando nos semáforos e congestionamento da praça sete.

Do banco de trás Carlos acompanha atento por onde passa olhando as pessoas, Os prédios que de tão altos se perdem no céu e O nervoso do motorista que usa a buzina pra chamar atenção de alguns pedestres imprudentes.

INT.APARTAMENTO DE HELENA-SALA/MANHÃ.

Helena, mulher jovem trinta e dois anos cabelos loiros olhos azuis, um metro e sessenta e cinco centímetros. Ela olha o relógio na parede que marca oito horas e quinze minutos. Na Sala sofás de três e dois lugares, mesinha no centro e um quadro na parede. Ela coloca as mãos no peito, sorrindo. Ajeita a melhor posição para deixar os dois carrinhos, arruma os bebês. Eles dormem. Beija-os. Dá dois passos atrás e respira fundo.

EXT. RUA-FRENTE AO PRÉDIO

Pára o táxi. O motorista desce e abre a porta. Carlos desce e de mochila na mão olha firme rumo à portaria. Envolvido na capa ainda molhada por gotas da chuva ele caminha a passos rápidos até o salgão do prédio e chama pelo elevador.

INT.SALA-MANHÃ

Toca a companhia

'' HELENA
Meu Deus! É ele!

Abre a porta. Carlos sorri e solta a mochila no chão. Abre os braços. Helena corre para eles.

CARLOS (ABRAÇADO A ELA)
Que saudades de você, minha linda. E meus filhos como estão?

HELENA
Estão bem Carlos, e você?Quando ligou dizendo que chegaria
hoje, nem acreditei.

CARLOS
Tivemos que mudar os nossos planos, depois falaremos no aassunto, agora quero conhecer nossos filhos, urgentemente.

HELENA
Estão aqui, vem ver vem! só que não consegui mantê-los acordados depois do banho.

Carlos segurando as mãos de Helena aproxima dos carrinhos, entre um e outro beija ambas as mãozinhas delicadamente. Emociona e chora. Helena chega mais perto e abraça-o. Por minutos eles ficam ali parados, admirando os filhos e um ao outro, sentindo a magia do momento.

EXT. PISCINA-TARDE/CLUBE

Música suave

Helena está dentro da piscina e dá um mergulho. Carlos vem nadando do outro lado ao seu encontro,eles se beijam,riem, jogam água um no outro. Apostam quem chega primeiro. Cansados saem da água. Helena apanha a toalha, enrola-se e senta na cadeira. Carlos aproxima deita no chão e descansa a cabeça no colo de Helena que faz um carinho nos seus cabelos.

EXT. SACADA DA ESCADA-TARDE.

Helena de um lado da porta Carlos do outro se olham por alguns minutos.

HELENA
E agora podemos conversar seriamente?

CARLOS
Hum! Amanhã, ta bem?Hoje é dia de festa!
Acabo de reencontrar a minha família que eu amo muito, não dá pra falar de coisas tristes em momentos mágicos como esses.

HELENA
Morro um pouco a cada dia, quando imagino você no meio daquela guerra.

CARLOS
O mundo precisa de jornalistas de Boa vontade. Não se preocupe nada vai me acontecer de mal. Vamos entrar? Amanhã agente conversa.

INT. QUARTO /NOITE

O casal se beija e se abraça. A noite é fria. Helena suspira agarrada em Carlos. Fecha um pouco os olhos, abre e olha o teto.

Carlos dorme. Helena levanta sem fazer barulho, vai até a porta abre.

INT.COZINHA-NOITE

Helena abre uma caixa de remédios tira um comprimido e toma com copo de água. LEVA A mão no rosto e resmunga.

HELENA (cont.)
Como vou falar pra ele, meu Deus!

Fecha a caixa que tem nas mãos, guarda-a no armário vai até o apagador e apaga a luz.

INT.QUARTO-MANHÃ.

HELENA (DOBRANDO O EDREDOM)
Você quer mesmo voltar pro meio daquela gente?

CARLOS
Por que você insiste nisso agora?

Helena solta o edredon

HELENA (nervosa)
Por que eu estou aflita. Antes me dizia que seu contrato com a editora terminaria daqui a quinze dias, e que não iria refazê-lo. Por que veio antes?

CARLOS
Eles querem que eu fique mais alguns meses.

Helena suspira de novo, joga o lençol de lado e começa a andar de um lado a outro dentro do quarto.
CARLOS
Helena, eu preciso de mais algum tempo.

HELENA
Não foi assim que combinamos.
O seu grande problema é saber me pedir tempo. Eu não tenho mais tempo para lhe dar. Não sou dona do tempo. Agora peça tempo para Deus, pois eu já cansei de te esperar.


Helena sai em direção à porta. Carlos fica parado olhando.


INT.CORREDOR-MANHÃ.

Choro engolido. ELA CAMINHA segurando na parede, com alguma dificuldade, então pára encosta na parede e coloca as costas das mãos na testa. Nesse instante vem ao seu encontro uma entidade espiritual. Mulher espírito quarenta anos, olhos azuis, áurea brilhante, que acompanha a cena num silêncio profundo de quem sente no fundo do ser o sentimento então contido da protegida.

A entidade vai até Helena e a abraça, ela não vê. Helena sente certo alívio na alma que a faz respirar fundo e reagir. Segura nas paredes e segue em frente.

INT.SALA-MANHÃ.

Helena vai até o telefone e disca.

HELENA (O.S)
Preciso lhe falar agora. Estou muito agoniada.

Ao seu lado a entidade continua envolvendo-a num abraço.

Do outro lado da linha está Carola, amiga de infância que mora no mesmo bairro. Mulher jovem, 25 anos, morena clara, cabelos lisos e olhos também pretos.

INT.SALA DE CAROLA-MANHÃ.

CAROLA (O.V)
O que aconteceu? Quer que eu vá aí?

HELENA. (O.S)
Não. Carlos está aqui. Não quero que ele ouça a nossa conversa.


INT.CASA DE CAROLA-MANHÃ.

Nos braços de carola Helena chora compulsivamente.

INT.CASA DE HELENA-QUARTO.

Carlos com os dois filhos nos braços. Eles choram ao mesmo tempo. Carlos balança os filhos,sacode,coloca a mamadeira na boca de um, o outro faz xixi, Ele vai pegar a chupeta, não encontra na caixinha ao lado.

INT.SALA-CINCO MINUTOS MAIS TARDE.

Carlos canta pra eles. Os olhos de Bruno brilham olhando o pai. Pára de chorar. Lucas também pára.

Carlos sorri.

INT.COZINHA-SETE MINUTOS MAIS TARDE.

Carlos coloca os filhos no carrinho.
Os dois estão calmos. Saí em direção à sala, empurrando o carrinho com os filhos.

Sente o cheiro de xixi, pára e coloca as mãos em Bruno.

CARLOS (PALPANDO O BUMBUM)
Meu Deus! Onde foi a mamãe de vocês?Veja só filho! Está todo molhado! O papai nunca trocou um bebê antes.

Empurra novamente em direção do quarto.

INT.QUARTO. DIA

Troca o filho, dá a mamadeira que encontra ao lado do berço e canta uma musiquinha de ninar. Os dois dormem. Sai pé ante pé.

INT.COZINHA–MEIO DIA.

Vai até a geladeira, abre, pega uma jarra de água, coloca no copo e toma um gole.

MÚSICA SUAVE.

INT.SALA. TARDE.

Carlos está sentado no sofá de dois lugares. A companhia toca. Carlos se levanta, passa a mãos nos cabelos e vai abrir. Helena está parada na soleira com os braços cruzados e mãos nos ombros. Olha nos olhos dele.

CARLOS
Porque saiu correndo daquele jeito?

Helena abaixa a cabeça e passa por ele. Carlos vai atrás.

INT.COZINHA-DIA.

Helena abre a geladeira, enche um copo de água e senta-se a mesa.


HELENA (olhando o marido)
Há coisas que você não terá resposta, se voltar para essa maldita guerra. Guerra que não é sua nem minha. Enquanto eu vivo a minha guerra pessoal lutando aqui sozinha. Você mal acabou de chegar e já quer partir. A vida não pára por que está fora. Há coisas que acontece e você nem percebe. Só o trabalho lhe interessa.


Carlos senta do outro lado da mesa, coloca sua mão sobre a mão de Helena. Olha em seus olhos.

CARLOS
Eu nunca deixei que lhe faltasse nada, preocupo muito com você e com nossos filhos. Morro de saudades!

HELENA
E! Passa dias sem ligar. Eu até suportaria essa situação se esse trabalho fosse a sua única opção na vida. Para o profissional que é elas são inúmeras que eu sei.


Helena levanta vai até Carlos e o abraça com força pelas costas.

HELENA (cont.)
Volto a pedir, meu amor, fica de vez com agente. Agora quem precisa de você sou eu. Liga pro
Seu chefe e diz que não vai voltar, diz! Eles que arrume outro. O seu contrato já terminou que eu sei. Só Deus sabe o quanto eu esperei por esse momento. Nem no nascimento dos seus filhos você pôde estar presente.


CARLOS
Pode não acreditar, mas eu sofro muito com isso.


INT.COZINHA-TARDE.

Helena prepara o café. Traz o cabelo preso e o rosto marcado pela dor. Vai até o armário, pega duas caixas de medicamentos e um copo de água.Senta-se à mesa e duas lágrimas rolam pelo seu rosto


HELENA PASSA OS DEDOS AO REDOR DO COPO NUM SÓ RITMO. OLHOS PARADOS.

INT.CONSULTÓRIO MÉDICO-DIA

MÉDICO (LEMBRANÇAS)
O importante é você se cuidar, Helena. Nós estamos fazendo tudo que é possível. Mas deveria estar aqui com O seu marido para contar toda a verdade.

HELENA
Eu sei Doutor. Assim que ele voltar eu conto tudo. Só não gostaria de dar uma notícia como essa, por telefone.

VOLTA A CENA

O toque da companhia. Helena vai até a porta,ABRE Carola entra, olha o rosto da amiga e lhe dá um abraço. Voltam para a cozinha e sentam–se à mesa.

HELENA (CONTINUAÇAÕ)
Que bom que veio. Preciso de forças para assumir uma decisão que tomei.

CARLOTA
Espero que tenha juízo pra fazer o que tem de ser feito.

HELENA
Conversamos a noite toda.

CARLOTA
Contou pra ele?

HELENA
Não.

CAROLA
Ele não vai lhe perdoar por esconder uma coisa tão séria. Carlos precisa saber.

HELENA
Precisa por quê? O trabalho é mais importante que tudo na vida dele. Carlos é ambicioso demais pra pensar nos outros.

CAROLA
Mas se você contar ele vem.

HELENA
Assim eu não quero, entendeu? Por piedade não. Vai acontecer de qualquer jeito.

CAROLA
Não fale assim.

HELENA
Ele vai embora logo mais à noite.

CAROLA
Tão rápido?

HELENA
Pediram a sua volta com urgência, quase tive um enfarto. Queria que ele mandasse aquele CHEFE pro inferno. Que ódio, Meu Deus!Pedi tanto a ele que ficasse.


CAROLA
E ele?

HELENA
Percebeu que o meu desespero não é algo normal, mas mesmo assim precisa ir. Chega! Não falo mais nada.


CAROLA SE LEVANTA E HELENA SE EXAUTA.

CAROLA
Vou procurar o Carlos e contar tudo, AGORA.


HELENA BATE NA MESA CHORANDO

HELENA
Pelo amor de Deus, não faz isso. Eu te proíbo, entendeu?

CAROLA
Você precisa dele aqui, mais do que nunca.

HELENA
Eu quero assim. Graças a Deus que você é minha amiga e está aqui. Deixa o Carlos ir sem saber de nada.

CAROLA
E As crianças? Fico preocupada. Ontem fui procurar o seu médico.

HELENA
FOI procurá-lo?

CAROLA
Sim.

HELENA
O que ele disse?

Carola se cala. Encara a amiga, fraca fisicamente senta na cadeira.

INT.QUARTO-NOITE.

Carlos beija os filhos, depois abraça com Helena. Os olhos estão cheios de lágrimas.

CARLOS
Volto logo querida.

EXT. AEROPORTO-NOITE.

Carlos embarca e o avião decola no céu de Belo horizonte.

Int.Quarto-noite.

(Música suave)
Através de pequena abertura na cortina da janela Helena chora olhando um avião que sobrevoa o céu escuro.

EXT. RUA-MANHÃ.

Pessoas andando assustadas. Tiros de canhões são ouvidos por crianças jovens e adultos que apavorados correm de um lado a outro, entram nas casas. Os passos largos Carlos e sua equipe de três pessoas adentram o Hotel.

INT.QUARTO-MANHÃ

Os três rapazes trancam rapidamente a porta ao entrar e Carlos apressa em guardar em um canto as ferramentas de trabalho. Retira a capa, dobra-a e aproxima da janela, olha através do vidro e tem o céu como cenário principal.
Fusão para a cena da despedida de Helena.

As cenas de Helena CHORANDO se misturam com as rajadas lá fora. Coloca as mãos no peito, fecha os olhos, mais um estrondo. Carlos tampa os ouvidos. Marcelo se aproxima.

MARCELO
E aí companheiro, a coisa aí fora ta pegando fogo, mas pelo jeito aí dentro do seu peito, ta pior. O que aconteceu no Brasil? Voltou meio pra baixo.

CARLOS
Ela não queria que eu voltasse cara. Nunca vi Helena tão agoniada.

Marcelo
E não é pra menos. Ela te ama.

CARLOS
Eu sei, mas é só por mais alguns dias. Essa guerra não vai durar a vida toda. A resistência do exército de oposição está enfraquecendo. E questão de mais algum tempo e voltamos todos pra casa. Custa ela ter um pouco mais de paciência?

Marcelo sorri e dá uma tapa nas costa de Carlos.

GILSON
Ainda não sei por que estou aqui no meio disso tudo. Mais se fosse casado não sei se me arriscaria tanto.

CARLOS
Olha pessoal, são trabalhos como esses que trazem oportunidades de promoção e não vou colocar tudo a perder agora. Eu amo a minha esposa e meus filhos. Mas eu gosto de me aventurar. Essa é a minha profissão, meu jeito de viver.

Um novo estrondo abala os três rapazes que se olham e Carlos volta o seu olhar pela janela.

POV CARLOS

Homens correndo, saindo do prédio em frente, gritos de pavor por socorro. Homens do corpo de bombeiro saltam do carro e corre em direção a entrada. O fogo inicia num prédio a pouca distância dali.

VOLTA ACENA

Carlos rapidamente fecha as cortinas, Marcelo e Gilson estão paralisados pelo susto. Os dois se levantam e pegam os equipamentos de trabalho. Carlos abre a porta, os outros o segue.

INT. CORREDOR-MANHÃ

Os três rapazes correm em direção à escada.

EXT. RUA-MAIS TARDE.

Extensa Movimentação acontece por causa da bomba, algumas mortes, pessoas saindo gritando. Chegam as ambulâncias, homens descem com as macas nas mãos. Os carros do corpo de bombeiros começam a apagar o fogo. Ao lado nas ruas mulheres procuram pelos filhos, desesperadas. Pessoas feridas são recolhidas pelos socorrista e colocadas nas ambulâncias que saem a todo vapor. Muitas pessoas mortas outras feridas, inclusive crianças.

A equipe de Carlos se movimenta para dar cobertura ao acontecimento. Enquanto Carlos e Marcelo trabalham, Gilson tem sua atenção voltada para estranho barulho como se fosse um choro de uma criança. Ele procura descobrir de onde vem e então depara com algo embaixo de um escombro. Levanta uma caixa e vê um menino de uns sete anos. Ele tem um lado do rosto em carne viva. Gilson dá um grito de horror. Carlos se aproxima e abaixa até ele.

Carlos
Chame alguém depressa, precisamos de ajuda.

Em pouquíssimo tempo a notícia já era do conhecimento de todo o mundo inclusive no Brasil.

INT.CASA DE HELENA-SALA DE TELEVISÃO-NOITE.

Helena Levanta-se do sofá e desliga o aparelho.

HELENA
Carola me ajude, estou sentindo mal. Só se fala na guerra. Não agüento mais.

EXT. HOSPITAL-DIA.

Helena e Carola estão sentadas diante do médico, DRºHÉLIO.

DOUTOR
Acho melhor começar logo com essas quimioterapias. Não há porque esperar mais.

HELENA
Eu tenho muito medo, mas preciso fazer, pelos meus filhos.

DOUTOR
Precisa fazer isso por você mesma menina. Cadê a sua força?

CAROLA
È isso aí, Doutor. Faça tudo que tem de ser feito. A partir de hoje Helena vai lutar por ela mesma.

DOUTOR
Então conto com você, pra ajudar nessa batalha.

Carola levanta aperta a mão do médico enxuga meio escondida duas lágrimas que escorre pela face.
Abraça com a amiga e deixa o consultório.

INT-DIA SEGUINTE-CLÍNICA. SESSÃO DE QUIMIOTERAPIA.

Deitada na mesa de olhos fechados. Tem do seu lado o espírito que segura em sua mão. Sorri para ela, transmitindo forças. Permanece do lado até que termine.

INT.MAIS TARDE-CASA DE HELENA-SALA.

Helena sentada no sofá tem as mãos na cabeça e olhos fechados. Toca a companhia e vai até porta. Carola está parada na soleira com as malas na mão.

CAROLA
Vim para cuidar de você.

HELENA
Eu não acredito no que estou vendo.
Você não me disse nada.

CAROLA
Se eu dissesse você não iria permitir
Não quero deixar você sozinha aqui com as crianças.


Ambas ficam paradas olhando uma pra outra
A emoção é grande. As duas começam a rir.

Helena abraça com Carola que emociona também. Ficam alguns minutos até que caminham juntas para o centro da sala. Ali coloca as malas.

CAROLA
Vou preparar alguma coisa pra gente comer.

HELENA
Eu vou ajudar. Também estou com fome.

CAROLA
Você está bem?

HELENA
Não estou muito bem. Aquele negócio é terrível. Por favor, diga que não preciso voltar lá.

CAROLA
Mas é o melhor tratamento que se apresenta no momento.

HELENA
Sinto meu corpo tremer. Eu quero notícias de Carlos. Tenho medo que ele não volte nunca mais. Sonho coisas terríveis com essa guerra.

Ext. RUA-PAÍS DE GUERRA-NOITE

O SUSTO DOMINA TODAS as pessoas. Pânico é o estado emocional geral, onde os tiros de canhão eram ouvidos a longa distância.

INT.NOITE-QUARTO DE HOTEL.

Carlos Gilson e Marcelo estão ainda assustados com os acontecimentos. Carlos nervoso passa as mãos constantemente no rosto e na cabeça. Olha pela janela e vê os clarões riscando os céus.

Gilson deitado na cama ao lado sente o corpo desfalecer pelo medo que ronda todas as residências. Marcelo está mais calmo, fuma um cigarro atrás do outro, mas Permanece de pé perto da janela.

CARLOS
Por pouco não acertam agente. Estou completamente perplexo. Atingiram um prédio ao lado do nosso quarto, Podíamos estar mortos, todos mortos como aqueles infelizes. Crianças dormindo, meu Deus!

GILSON
Eu quero a minha mãe.

Gilson anda de lado e outro com as duas mãos na nuca.

MARCELO
Eu também quero ir embora daqui, só que nós temos um contrato a cumprir, lembram?

CARLOS
Mais o meu contrato está terminando. Depois volto pro Brasil, podem apostar.

MARCELO
Eu vou junto com você. Isso aqui vai pegar fogo.


Mal acabam de falar, ouvem-se estrondos e riscos de fogo por todos os lados. As tropas Iraquianas Invadem o Kuwait. Sirenes tocam a todo instante
Carlos, Alberto e Gilson apanham os instrumentos de trabalham e descem novamente para os locais onde os estragos foram maiores.

INT.SALA-NOITE

A tensão aumenta e no Brasil ela é ainda maior no coração de Helena que assiste tudo pela televisão.

Trinta dias depois.

INT.SALA-DIA.

Carola molha algumas plantas na sala quando o carteiro entrega uma carta. OLHA e vê que é de Carlos

INT.QUARTO-DIA

Ao ler, Helena se emociona. Deitada, ela beija a carta antes de abrir.

CARLOS (V.O)

Perdoa-me por todos os sofrimentos causados pela minha ausência. Mas graças a Deus está chegando ao fim, voltarei o mais rápido que você imagina. A guerra tem sido para nós aqui no golfo uma grande experiência, mas a maior de todas as experiências é a falta que você me faz. A saudade hoje foi tão grande que resolvi lhe escrever. Vamos recomeçar querida e desta vez para sempre. Beijos do seu Carlos.

Helena aperta com força o pedaço de papel.
Levanta e vai até o espelho.limpa as lágrimas no rosto.

HELENA
Meu Deus!Tomara que me dê forças para eu te encontrar outra vez


Carola entra, olha Helena em frente ao espelho. Com as mãos na porta entre aberta, espera até ser percebida e abraça-a.

HELENA
Ele vai voltar logo Carola!

CAROLA
Ele vai sim, minha amiga. Agora vem jantar, vem?

HELENA
Não quero que ele me veja assim, olha como emagreci. Não sou mais a mesma pessoa, não sou a Helena que ele ama.

CAROLA
Claro que você é. Se ele te ama vai ficar feliz de poder de ver de qualquer jeito.

HELENA
Meus filhos precisam dele.

INT.COZINHA-NOITE

Helena tem dificuldade de se alimentar, procura com as mãos passar o tempo. Enquanto vira a taça em várias posições sempre com um vago olhar.

CAROLA
Precisa confiar no que o médico disse.
você pode se curar. Olhe que está nas mãos de um dos melhores especialista.
Depois Deus está do nosso lado. Ele quer a sua saúde. Senão não teria lhe dado dois bebês tão maravilhosos.


EXT. FEIRA-MANHÃ.

Na barraca da feira Carola escolhe a melhor batata e os melhores legumes para o almoço. Toca o celular. Ela olha e vê o número de Helena.

INT.CASA-MANHÃ.

Helena faz várias tentativas de falar com o marido e cobrindo os olhos com mãos tenta encobrir o desespero.

INT.SALA-MAIS TARDE.

Com o celular nas mãos Helena experimenta em cada cômodo com que o celular possa funcionar. Carlos está do outro lado do mundo.

INT.RUA-TARDE.

Carola e Helena passeando com as crianças pelos arredores do apartamento.

HELENA
Quero voltar, não estou me sentindo bem.

CAROLA
Sinto que você está mais triste hoje.

HELENA
Tentei durante todo o dia falar com o Carlos e não consegui. Tenho medo!

INT.QUARTO DE HOSPITAL-DIA.

Helena faz quimioterapia. Carlota segura a sua mão e vê duas lágrimas que escorre pela face dela.

INT.QUARTO-NOITE

CAROLA colocando um bebe no berço, enquanto Helena termina de dar a mamadeira ao outro.

Na sala a televisão anuncia o jornal das vinte horas, Helena se levanta,coloca o bebê ao lado de outro e sai. Carlota também deixa o quarto.

INT.SALA-NOITE.

APRESENTADOR DO JORNAL

Boa noite a todos. Nesta tarde enquanto buscavam informações sobre o avanço das tropas que bombardearam o Kuwait foram presos como refém alguns civis, inclusive jornalistas estrangeiros. Entre eles uma equipe de jornalistas Brasileiros: Carlos Alberto Saraiva Marcelo Cunha de Oliveira e Gilson Coimbra. Até agora não se sabe o que aconteceu realmente, mas o mundo teme pelas vidas dessas pessoas que cumprem o difícil trabalho de informar ao mundo o que se passa nessa guerra e que cada vez mais toma proporções arrasadoras.


Perplexa e com as mãos na boca Helena fica paralisada ante o impacto da notícia e a dor incontrolável que sente no peito. Carola procura anima-la, dando leve batidas em seu rosto e chamando-a pelo nome. Recompõe-se e corre ao telefone. Enquanto procura o numero do hospital, Helena consegue abrir os olhos.

HELENA
Meu Deus! Ajude-nos senhor. O que faço com essa dor. Carola... Carola.

INT.HOSPITAL-NOITE.

Helena deitada na maca já consciente e sob efeitos de remédios enquanto Carola segura as suas mãos.

HELENA
Logo agora que ele ia voltar para casa. Por que, carola, todas estas coisa estão acontecendo com a gente?

CAROLA
Mas ele vai voltar pra casa. È tudo notícia mal interpretada.

CAROLA MENTE.

O diretor do jornal ligou imediatamente pra você e deixou um recado, Foi alarme falso. Realmente eles foram presos, mas Carlos está vivo. Anime-se querida. Ele está vivo.

HELENA
Você jura que está falando a verdade?Ele está mesmo vivo?

CAROLA
Sim! Vivo!Graças a Deus. Tudo vai Acabar bem. O Carlos vai voltar pra casa.

HELENA
Quando? Quando vai libertá-lo? E meus filhos? Como estão meus bebês?

CAROLA
Temos que ter paciência. Seus filhos ficaram com a babá. Ela cuida deles com muito carinho. Não se preocupe. O médico pediu pra você passar esta noite aqui. Já vão levar você pro quarto e eu prometo ficar aqui até que você durma, ta bem?

INT.SALA/SECRETARIA DO JORNAL-DIA SEGUINTE

Carola aproxima da secretária.

CAROLA
Meu nome é Carola. Preciso falar com o diretor Orlando. É urgente, por favor.

SECRETÁRIA
Um Momento. Vou ver se ele pode recebê-la.

Ela disca um número e recebe a autorização para que Carola entre.

INT.SALA DO DIRETOR.

ORLANDO homem de sessenta anos, cabelos claros e olhos azuis. Bastante nervoso, com as mãos no bolso anda de um lado a outro, enquanto aguarda a presença de Carola.

Ao seu lado está Júlio, diretor administrativo da empresa. Juntos administram A surcusal no Kuwait.

A porta se abre e Carola aproxima estendendo a mão para cumprimentá-lo.

CAROLA
Meu nome é Carla Mota e sou amiga da esposa de Carlos. Preciso de informações seguras. Ela está muito mal. O que o senhor tem a me dizer?

ORLANDO

Sente-se Carla (Orlando indica a cadeira para que ela sente).

Em primeiro lugar, sinto muito pela Helena, eu não sabia que estava doente. Em segundo lugar temos informações que eles estão vivos, mas um pouco longe do nosso alcance, infelizmente. Estamos fazendo tudo que é possível junto à embaixada Brasileira, mas até agora nada posso acrescentar. Vamos confiar.

CAROLA
Precisamos mais do que confiança. Precisamos de certezas. Coisas concretas. A esposa de Carlos está num hospital, desde que ouviu a noticia ontem pela televisão. Helena está muito mal. Eu não sei mais o que fazer.

ORLANDO
Nós sentimos muito, quero colocar que estamos à disposição para ajudar no que for preciso.

CAROLA
Seu Orlando, Helena está com câncer.

ORLANDO
Meu Deus! Carlos está sabendo disso?

CAROLA
Helena não quis contar a ele, e nem me deixou fazer. Ele vive distante dela. O senhor sabe disso. Ela esperava que ele voltasse pra casa no mês passado, mas não foi o que aconteceu. Por isso escondeu a verdade.

Julio senta ao lado de Orlando com semblante de preocupação

JÚLIO
Nós sentimos muito tudo que aconteceu com nossos rapazes.

Carola se volta para ele.

CAROLA
Como foi que aconteceu? Onde eles estão agora?

Júlio
Sabemos que estavam filmando nas proximidades da Fronteira com o Iraque. Junto com eles há jornalistas de outros países também, o que torna mais fácil a negociação, entendeu?

EXT. GOLFO PÉRSICO-NOITE.

VÁRIOS prisioneiros enfileirados são conduzidos e obrigados a entrar num porão e jogados por dois soldados. A iluminação precária reduz a visibilidade, fazendo Carlos tropeçar em alguma coisa. O soldado 1 pára e lhe dá um chute. Soldado 2 assusta-se com o movimento do soldado 1 e aponta o rifle pronto a dispara-lo.Soldado 1 olha pra ele e acena com a cabeça que está tudo bem , saem em seguida fechando a porta deixando-os ali feridos.

Em meio aos prisioneiros Carlos levanta, caminha com dificuldade e olha um por um dos rostos assustados. Leva a mão na cabeça, sente o ferimento. Continua a procura pelos companheiros em meio aquele porão escuro.

MARCELO (falando baixo)
Carlos!Carlos! Estou aqui. Gilson também está comigo. Vem!

INT.QUARTO DO HOSPITAL-NOITE

Altas horas. Helena se debate com a insônia, dor e o medo. Ao seu lado Carola sentada em uma cadeira segura a sua mão e com um lenço enxuga o suor de seu rosto.


INT.PLANO ESPIRITUAL-SALA

Som da porta abrindo e entra Silvio e Laura. Dois amigos convocadas por entidade Joana, protetora especial de Helena.

JOANA
Meus irmãos. Chamei vocês aqui porque a minha tutelada precisa da nossa ajuda

SILVIO
Teremos o maior prazer em ajudá-la, cara Joana.

JOANA
Vocês já conhecem a história da nossa Helena, pois ajudou na preparação de sua volta a terra. Agora ela passa pelo ponto mais crucial da prova e temo que não resista se não interferirmos no que se refere ao passado.

LAURA
Como está Helena nesse momento?

JOANA
Vocês verão meus amigos. Helena não desenvolveu ao longo da vida o hábito da oração. Isso dificulta bastante. Com isso a sua percepção da espiritualidade é restrita. Somente podemos contar com o coração, que graças a Deus, não conserva nenhum resíduo de magoas maiores. Ela viveu até agora com certa resignação, mas temo que a onda da revolta comece a rondar a sua mente e isso agravaria em muito a sua situação. Temos permissão para trazê-la enquanto seu corpo repousa ainda essa madrugada. Por isso convoquei a ajuda de vocês.


SILVIO
É só dizer que HORAS PARTIREMOS.

JOANA
Agora meus irmãos. Seremos breves. Laura Espere por nós aqui.Ela vai precisar.

Laura concorda com um sorriso. A porta se fecha.

INT. QUARTO-HOSPITAL-NOITE

Os espíritos se mantêm afastados da cama. Assistem as suas lágrimas de dor e saudade. (música suave)

JOANA
Precisamos que ela durma.

Sílvio aproxima e aplica alguns passes. Helena sente um bem estar e boceja. Carola Levanta os olhos pra cima.

CAROLA
Obrigado MEU PAI.

No plano espiritual
JOANA
Vem Helena, filha. Entrega-se a Deus numa prece. Rogue a Deus a misericórdia do sono reparador.

JOANA e Silvio continuam oferecendo passes magnéticos e Helena eleva o pensamento a Deus como se a ouvisse. Aos poucos seu duplo etéreo se levanta e salta da cama. Liberta da matéria que permanece estendida na cama. Apóia em Joana e cai num choro profundo. È acalmada por Joana e Silvio.

ESPÍRITO HELENA
Quem são vocês?

Joana estende a mão e a segura com firmeza.

JOANA
Vem filha. Vem comigo!Deixa que repouse o vaso físico. Ele precisa reajustar as energias tão esgotadas. Vem!

Silvio a toma nos braços e a leva como se fosse uma criança adormecida.

INT.SALA DA ESPIRITUALIDADE-NOITE.

Silvio a deita numa maca. Laura aproxima. Helena acorda do transe magnético. Abre os olhos.

HELENA
Meu Deus! O que acontece comigo. Sei que ele é justo, por isso aceito a sua vontade. Sei que preciso confiar, mas eu peço meu pai, uma resposta ao meu coração que sangra de tanta dor.

JOANA (para Laura)
Aqui está a nossa Helena. Um pouco assustada para esse encontro, mas com certeza ela sairá daqui com um novo ânimo.

HELENA
Eu não sei do que vocês falam. Tenho dores fortes provenientes da doença, mas a dor da saudade ainda é mais forte. Agora que ele tinha decidido voltar para casa acontece essa tragédia. Nunca me senti tão sozinha no mundo. Onde está Carlos? Vocês sabem dele?Ele está vivo?

JOANA
Tudo lhe será respondido no momento certo. Estamos aqui para ajudá-la.

Silvio aproxima de HELENA e lhe dá a mão. Com o toque de Silvio ela tem um sentimento de paz, um êxtase. Helena respira fundo, fecha os olhos.

HELENA
Quem são vocês?Porque se interessam por mim?

LAURA
Trouxemos aqui para que se recorde, filha do coração, dos compromissos assumidos, junto a Deus e a você mesma. Não deve perder a coragem. Estará vivenciando o ápice do seu calvário. Estás bebendo o cálice da taça no resgate doloroso. É preciso ser forte. Lembre-se o MESTRE era inocente e não abandonou a luta.

HELENA
Estou assustada. Tenho plena consciência de tudo. O que vai ser de meus filhinhos, quando eu não estiver mais com eles. E agora? Sem o pai também para guiar-lhes os passos na infância. Terão de contar com a boa vontade dos outros. Eu sei que vocês são de Deus, vejo a luz maravilhosa que os ilumina, mas do meu coração só sai tristeza e revolta. Sinto-me muito cansada.

LAURA coloca a mão na sua cabeça com firmeza e suavidade ao mesmo tempo. Enquanto Silvio e Joana preparam a sala. Os papeis são tirados e postos na gaveta. As cortinas fechadas.

Uma tela é iluminada aos olhos de Helena.

EXT. RECUO NO TEMPO-JARDIM/DIA.

Uma mulher olha no espelho, admirando a beleza nele refletida. Vestida de forma elegante, chapéu preto e sapatos finos caminha entre os ramalhetes. Pára. Olha para traz.

O jardineiro aproxima e entrega nas mãos da mulher um pacote enrolado num papel. Ela olha o pacote e guarda-o no bolso do casaco.

Os passos largos ela se dirige para dentro da casa.

INT.QUARTO-NOITE

Close no relógio que marca duas horas.

Barulho de passos no jardim. Geórgia respira fundo retira o cobertor e vai até a janela.

POV. MULHER

Montado num cavalo um homem olha rumo à janela.

Geórgia sorri, acena com um lenço azul. Ela fecha as cortinas, anda de um lado a outro. Ajoelha ao lado do marido que dorme. Volta o olhar em direção a imagem de cristo pendurado na parede. Volta novamente à janela e olha o cavaleiro.

Fecha a janela e pé ante pé abre a porta e sai.

EXT. ESTRADA-DUAS E MEIA DA MADRUGADA.

Homem e Mulher sobre o cavalo em disparada.

INT.STÁBULO VELHO-DUAS HORAS E CINQUENTA MINUTOS.


O casal acende uma velha lareira. Venâncio vestindo roupa da época com vinte e seis anos reclama pelo frio da madrugada. A mulher tenta aquecê-lo abraçando-o pelas costas e virando-o de frente para receber um longo beijo.

EXT. ESTRADA DE VOLTA-POUCO DEPOIS.

Venâncio ajuda Geórgia a subir na garupa do cavalo, coloca em suas costas um casaco grande cobrindo todo o seu corpo inclusive a cabeça. Volta estrada afora rumo a casa dela. O animal vem devagar como se pudesse prolongar aquela poucas horas que restavam para estarem juntos.

A Câmara se aproxima do rosto de Venâncio e acompanha os passos do animal até o ponto onde Geórgia saiu. Pára o cavalo devagar. Ele a ajuda descer. Ela corre em direção à porta dos fundos. Ele vira o animal e volta agora em louca disparada.

INT.CORREDOR-TRÊS HORAS E QUARENTA MINUTOS.

Geórgia entra num quarto ao lado abre uma janela e se coloca a olhar o resto da noite. Aperta o ventre com as mãos e duas lágrimas descem em seu rosto. A porta semi-aberta. O marido para na soleira e chama seu nome. Geórgia vira com o susto e deixa cair sua bolsa.

Marido
O que você faz aqui há essas horas?Porque não está na cama?

VOLTA A CENA

INT.SALA ESPIRITUAL-NOITE

HELENA.

MEU DEUS! Essa mulher sou eu?

LAURA
Sim. E esse homem que você abandonou enquanto dormia, é Carlos.

HELENA
Eu não entendo.

LAURA
Basta recordar e sentir. Quer continuar?

HELENA
Quero sim.

EXT.AS MARGENS DO RIO-DIA

Venâncio e Geórgia caminhando à beira do rio de mãos dadas. Ela veste um vestido longo e tem os cabelos preso no alto da cabeça. Venâncio vê uma pedra embaixo de uma árvore e a conduz até ela. Eles sentam. Olhar sério de grande preocupação Geórgia olha o horizonte em seguida as águas do rio. Venâncio a puxa para perto de si. Ela se levanta.

VENÂNCIO
O que você tem?

GEORGIA

Ódio.
VENÂNCIO

De mim?
GEORGIA

Não, da vida.

VENÂNCIO
Acho melhor decidir o mais rápido que puder. O meu trem parte na próxima semana. Eu não posso viajar sem levar você comigo.

GEORGIA
E eu não posso levar esse filho no ventre, você entende?È como se eu nunca pudesse romper com esse casamento.

VENÂNCIO
Eu sei que você saberá resolver esse problema.

EXT. QUARTO DE GEORGIA-NOITE

ENTRA Uma mulher de sessenta anos, gorda, cabelos longo enrolado feito coque no alto da cabeça. Deitada na cama Geórgia olha o líquido que a mulher lhe entrega nas mãos.

MULHER
Como da outras vezes menina, tome tudo, que logo esse branco pula pra fora. É tiro e queda.

Geórgia vira o copo na boca e entrega-o a mulher que sai imediatamente olhando uma vez para traz

Ela levanta-se vai até o guarda roupa e começa a escolher alguns vestidos

GEORGIA
Fique aqui até que tudo se resolva. Não posso pedir nada ao Carlos. Se ele souber é capaz de me matar.

MULHER
Precisa tomar cuidado, menina. Vou à cozinha apressar o jantar, você vai ficar bem.

GEORGIA
Obrigado por ficar do meu lado.

A mulher sai fechando a porta, enquanto Geórgia vai até o guarda roupa, olha os seus vestidos de festa, coloca de frente o espelho, admirando a sua imagem, passa as mãos no ventre. Encontra seu perfume e coloca um pouco em cada face.

Carlos entra e vê Geórgia em frente ao espelho.

CARLOS
Meu amor, eu não quero que vá a festa. O médico pediu pra ficar de repouso. Você está grávida. E é uma gravidez de risco. Eu não quero perder esse neném. Não resistiria passar por tudo de novo.

GEORGIA
Eu estou muito bem e não vou ficar o tempo todo deitada nessa cama, por causa dessa gravidez, entendeu? Eu sou jovem, preciso respirar, já não basta esse enjoou horroroso. Arrume-se Carlos, porque esse baile eu não vou perder por nada nesse mundo.


INT.SALA EPIRITUAL-NOITE/CONTINUAÇAÕ.

Helena se contorce na poltrona e o aparelho é desligado por Sílvio, enquanto Joana e Laura aplicam passes de dispersão.

INT.QUARTO DE HOSPITAL-DIA.

CAROLA ABRE a porta. Helena sentada na cama
Toma o café. Ao lado a enfermeira auxilia. Ao ver Carola chegar lhe passa a bandeja.

CAROLA
E aí amiga, como passou a noite?

Passei bem melhor, sonhei com os anjos (sorrindo).
Meus filhos... Eu quero vê-los, acho que posso voltar pra casa.

CAROLA
Com certeza, voltaremos ainda hoje. O médico estará aqui Dentro de pouco, e se continuar com essa carinha boa, ele nos manda embora num minuto.

HELENA
Que bom. Tem notícias de Carlos?

Carola procura juntar as roupas, sapatos toalhas dentro do quarto para não falar sobre o assunto. Os olhos fixos de Helena acompanham cada gesto de Carola.

HELENA (CONT.)
Carola, eu não sinto dor alguma hoje.

CAROLA
Que bom Helena. Atribui isso aos sonhos?

HELENA
EU NÃO sei definir o que é, mas sinto-me mais leve e disposta. Quero voltar pra casa, trabalhar, cuidar dos meus filhos. Eu quase ouço o choro deles. Eles precisam de mim.

Carola sorri. Olha pro alto, levanta as mãos. Helena joga as cobertas de lado e levanta, sente se tonta.

CAROLA
Vá com calma amiga, deixa que eu a ajude.

Helena se recompõe devagar, respira fundo. Está fraca, senta se na cama. Carola senta se ao seu lado.

INT.QUARTOS DOS FILHOS-DIA.

Helena entra e fica a olhar os rostinhos dos filhos, pega em seus dedinhos. Acaricia-os pega um deles no colo e beija várias vezes. Depois pega o outro e também o beija várias vezes. Olha o retrato de Carlos na parede. Respira. Lágrimas escorrem em sua face.

INT.SALA/TARDE

Carola abre a porta de mansinho
Vê Helena deitada na rede de olhos fechados
Junto aos filhos. Pára, olha e caminha pra frente.

HELENA
Onde você estava Carola?

Carola se volta.

CAROLA
Não queria acordar você. Fui ver o chefe de Carlos aqui no Brasil pra cobrar umas explicações.

O rosto de Helena se ilumina ENQUANTO BRINCA COM OS DEDINHOS DO FILHO.

HELENA
Eu sinto que ele está vivo! Mas eu sinto também que não voltarei a vê-lo com esses meus olhos físicos.

CAROLA (GRITA)
Não fale assim, pelo amor de Deus, nunca mais diga isso!


INT.QUARTO-NOITE.

Helena abre a janela e fica a contemplar a noite lá fora. Fica imóvel olhando a rua, os carros e os homens que iam e vinham.passa a mão lentamente na cabeça e as vê cheias de cabelo.vai em frente o espelho.Está diferente.chora,olha o retrato de Carlos ao lado,sente dores,relembra o dia do noivado.

FLASHBACK

EXT. RUA /NOITE.

Carlos dirige dando voltas ao redor da lagoa. Ponto de referência para encontros românticos. Pára o carro. Ao seu lado, Helena sorri.

Carlos procura algo dentro da pasta, encontra uma pequena caixa. Abre-a enquanto Helena cheia de curiosidade acompanha cada gesto nervoso que ele faz para abri-la.

Helena leva as mãos na boca ante a surpresa. Uma aliança que Carlos carinhosamente tira e coloca em seu dedo.

CARLOS
Quero casar com você Helena, para tê-la bem juntinho de mim. (abraça-a junto ao peito)
VOLTA ACENA

Carola entra no quarto com um copo de água e alguns remédios na mão e encontra Helena em pranto silencioso. Ela toma os comprimidos, enquanto a amiga a conforta com a ternura de mãe. Ajuda Helena a se deitar, passa as mãos em seus cabelos, vai até o berço e beija os dois filhos de HELENA E COM LÁGRIMAS NOS OLHOS DEIXA O QUARTO.

CAROLA
Dorme com os anjos. Estou sempre aqui e chame, se precisar.

Sob os efeitos do remédio, Helena sente-se apagar. Espírito Joana se aproxima lentamente em meio ao quarto escuro que agora já se faz iluminado. Chega, olha Helena estendido na cama, aplica–lhe passes por todo o corpo.

JOANA
Helena, Helena...

E Helena em espírito se levanta lentamente, volitando a alguns centímetros acima do corpo, pairando no ar.

JOANA
Vamos filha, já estão a nossa espera.

INT.SALA ESPIRITUAL-NOITE.

Adentram os dois espíritos. Laura e Silvio sorriem para Helena.

INT.PRISÃO-DIA -

Na prisão Carlos caminha entre quatro paredes. Sujo, barba por fazer. Ao seu lado pessoas chorando, homens machucados, feridas expostas.

INT.PRISÃO-NOITE

Carlos cansa de ficar de pé. Ele senta-se no chão. Ao seu lado Silvio espírito aplica passes.
Laura aproxima em prece.

SILVIO
Há dificuldade em fazê-lo dormir. Estão todos muito assustados, traumatizados, porque não sabem o que poderá acontecer amanhã.

LAURA ESPÍRITO (FALANDO PRA CARLOS)
Pense em DEUS, Carlos. Reze. Você sabe rezar

SILVIO
Ele não nos ouve Laura. Desde que aconteceu a prisão, Carlos vive um processo de culpa que vem minando a sua resistência. Não acredita que sairá vivo daqui. O seu pensamento se volta pra mulher e pros filhos no Brasil. Sente–se culpado pela situação a tal ponto de esquecer da esperança e da fé. Eles todos estão aguardando o pior. E isso dificulta ajuda.

Laura aproxima de Gilson.

Coloca as mãos em sua cabeça e Gilson sente um arrepio. Continua com as mãos e de repente ele se levanta.

GILSON
Carlos, Marcelo. Não sei por que me lembrei de Deus. Agente não reza, eu pelos menos não sei rezar direito. Quem sabe ele manda alguém aqui nos ajudar.

Todos entendem e se dão as mãos. Fazem uma corrente ao redor dos espíritos que sorriem felizes.

TODOS
PAI NOSSO, QUE ESTAÍ NOS CEUS... SEJA O VOSSO NOME...

SILVIO
Quando é que eles vão entender, Meu Deus!Seria tão mais simples.

LAURA
CARO IRMÃO, eles vão entender. São crianças adormecidas...


INT.SALA ESPIRITUAL-NOITE.

Helena está diante do aparelho. Sonolento entra Carlos amparado pelos espíritos Silvio e Laura
Ela se vira e seu rosto se ilumina. Carlos se assusta Helena levanta e o abraça.

CARLOS
Helena querida é você mesma?

HELENA
Sim meu amor, sou eu mesma. Onde você está que não volta para casa. Nós precisamos de você.tanto! Tanto!

CARLOS
Eles me explicaram algumas coisas enquanto vínhamos pra cá. Ele disse que meu corpo dorme, e que tenho de voltar.

HELENA
Que bom que você está vivo. O que aconteceu com você?

CARLOS
Eu fui preso em algum lugar escuro, muito escuro, Não vejo a luz do sol. Eu e meus companheiros temos fome e sede. Alimentam-nos mal e estamos com muito medo.

Chamo sempre por você. Devia ter ficado em casa como você queria. Acho que é castigo de Deus.

HELENA
CARLOS, Deus não castiga ninguém, ele nos ama. Nós é que somos responsáveis pelas nossas ações. Eu estou doente. Acho que não vou poder criar os nossos filhos como planejamos. Vou deixá-los com você, por isso é preciso que volte e viva. Eles precisam de seu carinho e proteção.

Carlos ouve e chora desesperadamente. Do lado as entidades permanecem em prece.

CARLOS
Perdoa Helena, perdoa. O remorso vai me sufocar. Lembrei-me tarde demais de você.

Ante o desespero de Carlos Silvio se aproxima.
Helena e Carlos permanecem abraçados e ele coloca a mão direita nos ombros de Carlos.

Carlos pede.

CARLOS
Deixe-me ficar com ela.


HELENA
NÓS ENCONTRAREMOS sempre que a saudade apertar. Eu tenho estudado muito a respeito e descobri que somos eternos. Agradeço a Deus por isso.

CARLOS
Queria Poder lembrar desse encontro com toda a clareza, porque o meu coração não suporta mais a saudade e o arrependimento pela escolha de vida que fiz. Saí em busca das coisas. Tive a vida e a felicidade aos meus pés e não sabia. Sou egoísta e não posso me perdoar.


INT.PRISÃO-MADRUGADA.

CARLOS GEME.

MARCELO APROXIMA DELE E O BALANÇA.

MARCELO
Carlos acorda! Acorda!

CARLOS (assustado)
Eu estou com medo, que barulho é esse (ouve se tiros lá fora).

Marcelo (falando bem baixo)

Estão bombardeando a cidade. Calma, vem vindo alguém aí.
Carlos abre os olhos assustado.

CARLOS
O quê?Quem está chamando?

MARCELO
Ninguém está chamando. O mundo parece desabando e você dorme. Eu nem prego os olhos cara.

CARLOS (Tapando os ouvidos)
Meu Deus Tende piedade de nós. Eu não quero morrer aqui.

Lá fora os bombardeios fazem clarões no céu. Pessoas correm rumo aos abrigos, casas pegam fogo. A sirene apita. Os socorristas descem com as macas. Crianças choram. Mulheres choram.

Dois dias depois.

INT.SALA-DIA.

CAROLA abre a porta.

CAROLA
Doutor, que bom que você veio rapidamente. Eu quero conversar um pouco antes de ver Helena.

DOUTOR
O QUE está havendo Carola. Estou aqui para ajudá-la.

CAROLA
Ela está cada dia pior. Temos poucos amigos. Somos de outro estado. Helena não tem pais e é filha única.

Doutor
Estão passando dificuldades financeiras?

CAROLA
Não. Eles possuem um ótimo plano de saúde Graças a Deus. O problema é que eu não sei como passar forças a ela se eu não tenho forças. Sinto me morrer com ela, principalmente quando olhos as crianças. Estou fraca. Tenho medo de que não estejamos fazendo todo o possível para salva-la.

Doutor
Estamos fazendo sim carola!Não dispomos de outros meios. Não há cura dentro da medicina para ela. Pelo menos até o momento. Tenha fé, reze. Já vi pessoas se curarem de câncer. O que me dói é vê-la morrer a cada dia sem a presença do marido para apertar a sua mão.
Sinto que a dor dele será maior do que a dela.

EXT. QUARTO-HOSPITAL DIA.


POV-OLHOS DE HELENA


FLASHBACK-CENAS DA VIDA PASSADA


EXT. EM FRENTE À CASA GRANDE-NOITE


Um homem desce do cavalo. É O marido de Geórgia com roupas de montaria ele caminha a passos largos em direção a porta de entrada. Abre a porta.

INT SALA-NOITE

Entra chamando o nome da mulher, vai subir as escadas sua atenção volta até um papel em cima da mesa. Ele pára pega o papel. Dá um grito.

MARIDO
Não!

EXT. ESTAÇÃO DE TREM-NOITE

O apito do trem anuncia a sua chegada. Ele pára. Um casal abraçado caminha firme e decidido rumo ao embarque de passageiros.


FIM DO FLASHBACK


Novamente os olhos de Helena vão se afastando da tela até se ver toda a extensão do quarto de Hospital.

HELENA
(fala entrecortada e baixa)
Carola...

Carola aproxima da cama e segura suas mãos.

CAROLA
Estou aqui, meu amor, ao seu lado.

HELENA
Carlos ainda está preso, não está?

CAROLA
Sim! Mas eu conversei com o Orlando e ele disse que eles serão libertados o mais rápido possível.

HELENA
Eu não acredito nisso.
Tenho pena de você

CARLA
De mim? Por quê?

HELENA
Vai ficar muito confusa, depois que eu me for, com dois bebês nas suas costas. Vai criá-los para mim?Não sei se tenho o direito de pedir isso a você. Mas queria que eles fossem criados por quem realmente possa amá-los. E você pode. Não quero que eles sofram.

CAROLA
Nunca deixaria que isso acontecesse com eles, amiga. Fica tranqüila.

HELENA
Você é jovem demais. Eles vão atrapalhar a sua vida. Não tem obrigação com algo que você não planejou. Ser mãe tão cedo.


Carla deita o rosto no peito de Helena tentando sorrir.

Carola
Então eu serei a irmã mais velha deles e irmã mais velha cuida dos irmãos mais jovens. Está bem?Eu os amo tanto quanto você. Mas eu juro que quem vai criá-los é você e o Carlos. Por favor, não se entregue. Lute, lute por isso.

Helena fecha os olhos, carola se afasta um pouco. Esforça para controlar as lágrimas e conter o choro.

Helena dá outro suspiro, respiração está ficando muito difícil. O médico e um enfermeiro entram e colocam o oxigênio. O olhar de Carola se encontra com o olhar do médico. Carola aproxima e segura as mãos dela. O Doutor passa as mãos carinhosamente sobre a cabeça em seguida sobre o rosto de Helena Ela abre os olhos, ainda sorri. O médico sai.

Helena
Se algum dia você gostar de Carlos, eu não a condenaria por isso, eu...

Carola leva o dedo nos lábios de Helena.

Carola
Psiu! Não diz mais nada querida. Isso é um absurdo. Descansa depois agente fala sobre isso.

Carola se levanta andando de costas e sem tirar os olhos dos olhos de Helena. Mas eles já estão fechando.
Carola
Meu Deus!

Abre a porta do quarto e ao lado na sala do corredor a TV anuncia o “jornal” da noite.

Locutor
Atenção para essa notícia extra. Soltos agora a pouco os jornalistas preso há meses durante uma tentativa de filmagens nas imediações do território inimigo no golfo. Eles passam bem, embora bastantes magros barbudos e traumatizados pelo tratamento recebido durante a prisão. Vamos falar com o jornalista Carlos Cury.

E então Carlos, nesse momento qual é o seu maior desejo?

Carlos
Agradeço a Deus por estar livre. Agora o que mais quero é voltar pra casa e abraçar minha mulher e meus filhos o mais rápido possível. Só isso. Não tenho mais nada a dizer.

INT.corredor do Hospital-noite.

Um rapaz da enfermagem vem correndo adentrando o quarto.

EMFERMEIRO
Gente!OLHA o que está anunciando, eles soltaram o Carlos. Helena, Hele...na

A vista da porta ele pára. Carola leva a mão à boca e caí num choro profundo.




FIM.
FADE OUT